Região terá regras da bandeira vermelha a partir desta terça-feira


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 23/02/2021 06:30
Atualizado 23/02/2021 06:35

COVID 19   72 HORAS DE TENSÃO

A aceitação da manutenção do modelo de cogestão fará com que o Vale do Rio Pardo siga medidas menos restritivas no modelo de Distanciamento Controlado. Em transmissão ao vivo na tarde desta segunda-feira, dia 22, o governador Eduardo Leite anunciou que vai autorizar que o modelo permaneça. Assim, a região poderá seguir regras de bandeira vermelha. “Nós alertamos para a gravidade da situação das internações. Mas se não há espaço para suspender a cogestão, fica aqui a eles, os gestores municipais, o apelo para que façam cumprir os protocolos. É importante que haja o esforço na fiscalização”, disse o Governador.

Na reunião com a Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e associações regionais, na manhã desta segunda, os representantes pediram pela manutenção do modelo. Nesta rodada, das 21 regiões, 19 fazem parte do sistema compartilhado. Na cogestão, as regiões que decidirem por aderir podem adotar protocolos próprios desde que não menos restritos que os protocolos da bandeira anterior, por exemplo, regiões em bandeira preta podem adotar protocolos de bandeira vermelha, como fez o Vale do Rio Pardo, que optou pelo sistema e não pelo pedido de reconsideração. Os dez recursos recebidos pelos Estado até a manhã deste domingo, dia 21, foram indeferidos.

Apesar da cogestão ter sido aprovada pelo Governo do Estado, os prefeitos precisam publicar decretos municipais para avalisar as regras enviadas ao Estado. Abaixo da foto na matéria, confira os decretos do Governo Estadual e também de Santa Cruz do Sul.

Outra novidade, no entanto, nesta 42ª semana do Distanciamento Controlado é a suspensão geral de atividades. Antes a partir das 22 horas e após revisão, entre 20 e 5 horas. Neste período, a maioria dos setores da economia não pode funcionar - confira exceções no quadro abaixo.

Sendo assim, apesar de enquadrado nas regras da bandeira vermelha, o Vale do Rio Pardo permanece sob bandeira preta. Um dos únicos setores que não aceita a cogestão é a educação, que após liberação por parte do governo, para que o ensino infantil e o 1º e 2º ano voltem, os demais estudantes devem permanecer sem aulas (veja mais na página ao lado).

O Pior Momento

Em pronunciamento no último sábado, dia 20, o governador Eduardo Leite ressaltou a necessidade de colaboração de todos. “Enquanto a vacina não chega, precisamos do envolvimento de todos. Tomara que as restrições da próxima semana encontrem a consciência de cada gaúcha e gaúcho e produzam os efeitos imaginados. Cuidem-se”, destacou.

De acordo com ele, o monitoramento de dados em tempo real e as projeções realizadas pelo governo mostram que “o quadro é extremamente delicado e crítico”, o que levou à decisão pela aplicação de medidas mais severas.

Leite ainda destacou que o RS passa por algo que pode ser chamado de terceira onda, com uma velocidade e agressividade ainda maior que as duas primeiras.

Suspensão Geral de Atividades

Anunciada também pelo governador Eduardo Leite durante pronunciamento na noite da última sexta, a suspensão geral de atividades ocorre em todas as cidades do Estado, entre às 20h e às 5h. Neste período não é permitido o funcionamento de diversos ramos de negócios. As exceções são farmácias, hospitais, clínicas médicas, serviços funerários, serviços agropecuários, veterinários, de cuidados com animais em cativeiro, assistência social, atendimento à população vulnerável, hotéis e similares, postos de combustíveis, estabelecimentos dedicados à alimentação e hospedagem de transportadores de cargas e de passageiros, estabelecimentos que funcionem em modalidade exclusiva de tele-entrega e Centrais de Abastecimento do Rio Grande do Sul (Ceasa). A suspensão geral também não atinge atividades industriais noturnas.

Governo determina suspensão do início do ano letivo

A classificação do Vale do Rio Pardo em bandeira preta, no mapa preliminar do Distanciamento Controlado do Governo do Estado na última sexta-feira, também provocou reflexo na volta às aulas, prevista em diversos municípios para esta segunda-feira. Durante pronunciamento, o governador Eduardo Leite sugeriu que nos municípios classificados em bandeira preta, o início do ano letivo de forma presencial fosse suspenso. O Governo do Estado suspendeu também o início das aulas na rede estadual.

Santa Cruz do Sul

Na terra da Oktoberfest, o Colégio Mauá e a Escola Educar-se confirmaram que não retomarão as atividades neste momento. Em Vera Cruz, o Instituto Sinodal Imigrante e a Escola Anchieta também fizeram o mesmo. O Colégio São Luiz informou que deve começar o ano letivo de forma remota. O Colégio Dom Alberto comunicou que as atividades escolares relativas ao ano letivo de 2021 seguirão de forma remota a partir desta terça. 

Vera Cruz

Na Capital das Gincanas, a Secretaria Municipal de Educação comunicou que a volta às aulas nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental (EMEFs), bem como as atividades presenciais nas Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs) foram suspensas a partir desta segunda-feira. As escolas da rede municipal seguirão o calendário escolar 2021, disponibilizando atividades pedagógicas não presenciais, para realização de forma remota, que serão entregues na próxima quarta-feira, dia 24.

O que está Liberado?

Em relação a Educação Infantil e os 1º e 2º anos do Ensino Fundamental, o Governo do Estado acatou pedido dos prefeitos para a manutenção das aulas presenciais na bandeira preta para essas turmas, considerando a dificuldade que os pais encontram por não ter com quem deixar os filhos quando saem para trabalhar.

Dessa forma, a prefeita Helena Hermany autorizou o  início das aulas na Educação Infantil e 1º e 2º anos do Ensino Fundamental na rede particular já a partir desta terça-feira. 

Na rede pública municipal, as aulas serão retomadas na quarta-feira, dia 24, para os estudantes de zero a três anos.

Já em Vera Cruz a decisão pelas atividades presenciais ou não nessas turmas será definida em reunião realizada nesta terça-feira. 

Para os demais níveis de ensino, as atividades presenciais seguem proibidas em regiões com bandeira preta, mesmo que vigore o sistema de cogestão.

Leitos Covid chegam a ocupação de 100%

Pela primeira vez desde o início da pandemia, as duas casas de saúde de Santa Cruz do Sul com leitos de UTI disponíveis para atendimento de pacientes com coronavírus registram 100% de ocupação. A informação foi confirmada nesta segunda-feira ao Portal Arauto via assessorias de imprensa dos hospitais Santa Cruz e Ana Nery.

Hospital Ana Nery

No Hospital Ana Nery (HAN), a ocupação máxima atinge também os leitos clínicos, com nove pacientes internados com casos menos graves e outros cinco internados na UTI. “A situação é grave, porém dentro da capacidade de atendimento da instituição. Espera-se que não haja aumento no número de casos como reflexo do feriadão de Carnaval, pois não há como fugir da capacidade instalada do hospital, sobretudo no que diz respeito às equipes médica e assistencial. No momento, tanto o quadro profissional quanto de equipamentos (respiradores, por exemplo) são condizentes com o volume de atendimentos do Ana Nery”, destacou a assessoria por meio de nota.

Hospital Santa Cruz

Já o Hospital Santa Cruz (HSC), ainda tem leitos clínicos vagos, mas a ocupação da UTI Covid atingiu 100%. Na manhã de ontem, a casa de saúde divulgou nota anunciando a suspensão de cirugias eletivas que necessitem de internação clínica ou leito de UTI a partir desta terça até o dia 31 de março. O comunicado diz ainda que “o HSC avaliará a situação a cada sete dias, ajustando o presente comunicado conforme evolução das normativas legais”. As cirurgias serão reagendadas oportunamente, para o mínimo prejuízo ao tratamento dos pacientes.

Os atendimentos e procedimentos ambulatoriais estão mantidos. Já os atendimentos da Unidade de Atendimento Ambulatorial (UAA) serão limitados a 50% do volume contratado.

Ainda conforme a nota, serão mantidos os procedimentos de urgência e emergência e procedimentos cujo adiamento possa implicar elevado dano à saúde do paciente. “Serão considerados inadiáveis os seguintes atendimentos e procedimentos:

a) Os atendimentos às gestantes bem como aos recém-nascidos e puérperas;

b) os acompanhamentos pós-cirúrgicos para todos os tipos de cirurgias já realizadas, mesmo as eletivas;

c) atendimentos na especialidade de oncologia, cardiologia e neurologia contemplando toda a linha de cuidado (da 1ª consulta até a alta do paciente)”. 

Hospital Vera Cruz

Com o aumento na procura de pacientes sintomáticos junto ao Hospital Vera Cruz (HVC), a Prefeitura de Vera Cruz ampliou a equipe de profissionais que atuam no atendimento desses pacientes na instituição de saúde. A medida também é uma reação à classificação da região em bandeira preta no mapa preliminar do Distanciamento Controlado - anunciada na tarde de sexta-feira -, bem como leva em conta que o Ambulatório de Campanha, instalado junto ao Ginásio Poliesportivo do Parque de Eventos, está funcionando somente de segunda a sexta-feira, das 7h30min às 11h30min e das 12h30 min às 16h30min. Fora esses dias e horários, desde o começo de fevereiro, o atendimento é realizado no HVC.

Na última semana, foram realizados em média 60 atendimentos por dia no Ambulatório de Campanha, procura que se manteve no fim de semana. Já no Hospital Vera Cruz, no sábado foram registrados 24 atendimentos de pacientes sintomáticos para Covid-19 e, no domingo (16).

A assessoria do HVC informou nesta segunda-feira, que dos 10 leitos clínicos destinados à internação de pacientes com Covid-19, apenas um está ocupado. 

Leia mais

Veja o que muda com a restrição de atividades a partir das 20h


Foto: Arquivo/Agência Brasil
Novo decreto já foi publicado. Confira abaixo
Novo decreto já foi publicado. Confira abaixo