O que é lixo para alguns, nas mãos das artesãs ganha nova utilidade


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 23/07/2022 17:00

Geral   CRIATIVIDADE

O potencial de transformação dos materiais recicláveis em decorações e artigos diversos já vem sendo explorado pelos artesãos da Secretaria de Cultura, Turismo, Esporte e Lazer de Vera Cruz há um certo tempo. Basta dar uma volta pela cidade sempre que datas comemorativas se aproximam para observar o resultado de tamanha criatividade e habilidade no manuseio dos materiais. De olho nessa tendência, a Secretaria, juntamente com o Sindicato Rural de Santa Cruz do Sul e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-RS), promoveram um curso de artesanato com materiais recicláveis entre os dias 11e 14 de julho. Mais do que ensinar uma nova forma de explorar o artesanato como hobby ou renda, a atividade buscou desmistificar o preconceito relacionado aos materiais em desuso. “Quando se fala em usar recicláveis para fazer artesanato, muita gente olha com cara feia, como se o lixo só pudesse ter cara de lixo. Mas quando bem explorado, usando a técnica correta, podem ser feitas coisas lindas e muito úteis”, observa a instrutora do Senar-RS, Zélia Martins Kaufmann. 

A professora, juntamente com as artesãs do departamento de Cultura, Regina Lara e Glegir da Silva, ensinaram as participantes a como transformar jornais, papelão, retalhos de tecidos, latas, garrafas pet, embalagens de produtos de limpeza, palhas e caixas de leite em cestas, potes para guardar balas e outros alimentos, guirlandas, casa para passarinhos, vasos de flores e enfeites diversos. Entre as produções, a garrafa pet cortada na parte superior e acoplada sobre um CD - sendo recapada com tecido - se transformou em um porta-trecos em formato de xícara. Em outra forma de uso, a pet virou enfeite de Natal, dando origem a uma bota, que recebeu acabamento com glitter, EVA e retalhos de tecido jeans.  

O aprendizado preferido da moradora do Rincão da Serra, Jussara Vanita de Brum, de 61 anos, foi um porta sacolas (ou puxa-saco), feito a partir de uma embalagem de amaciante - e que pode também ter a alça usada para pendurar panos de prato. “Já trabalho com artesanato há um tempo. Ornamento porongos, faço guirlandas, enfeites de Natal e Páscoa, só que tava acostumada a usar bem poucos materiais, como o jornal. Então, vim buscar outras habilidades, novas formas de usar outros materiais”, conta Jussara, que aprendeu a usar a esponja de lavar louças como pincel, na hora de decorar as latas e os potes com tinta. “A pintura fica muito mais suave e bonita”, afirma. 
Por sua vez, Carine Guedes, de 41 anos e moradora do bairro Imigrantes, enxerga a reutilização de materiais recicláveis também como forma de economia. “Gosto muito de usar alguns materiais que sobram em casa e transformar, por exemplo, em um enfeite para a mesa. Eu economizo, porque deixo de comprar,  e de quebra, ajudo o meio ambiente”, pontua ela. 

Para contribuir com novos cursos e iniciativas, a comunidade pode doar no Departamento de Cultura, bem ao lado da Câmara de Vereadores, materiais que seriam descartados e, que pelas mãos das artesãs, vão ganhar novo uso.   


Foto: Grupo Arauto / Taliana Hickmann
O que é lixo para alguns, nas mãos das artesãs ganha nova utilidade


Foto: Grupo Arauto / Taliana Hickmann
O que é lixo para alguns, nas mãos das artesãs ganha nova utilidade


Foto: Grupo Arauto / Taliana Hickmann
O que é lixo para alguns, nas mãos das artesãs ganha nova utilidade


Foto: Grupo Arauto / Taliana Hickmann
O que é lixo para alguns, nas mãos das artesãs ganha nova utilidade