"Nunca foi tão difícil trabalhar", relata proprietário de restaurante de Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Publicado 12/05/2022 06:40
Atualizado 12/05/2022 06:41

Geral   ECONOMIA

Quem vai com frequência ao mercado já deve ter se dado conta do quanto diversos alimentos têm sofrido um aumento nos preços nos últimos tempos. Essa elevação vem impactando não só no bolso de quem opta por fazer as refeições em casa, mas também nos restaurantes que têm buscado alternativas para lidar com os altos custos sem afetar fortemente os clientes. 

"É o pior momento. Nunca foi tão difícil trabalhar". A frase choca e chama atenção, mas foi dita com toda a certeza pelo proprietário do Restaurante Cantina Giovani, Gilmar Antonio Boscaini. Para lidar com a alta dos preços dos alimentos, o proprietário conta que o fornecedor é aguardado e em caso de produtos em oferta, é comprado um volume maior.

Segundo Boscaini, um aumento nos preços dos alimentos é percebido desde o início da pandemia, mas a elevação dos valores tem sido maior devido à guerra da Ucrânia. Entre os produtos que mais têm sofrido impacto estão verduras e até mesmo o arroz. Em meio a esses desafios, ele conta que no restaurante tem se buscado priorizar fornecer mais carne de porco e frango do que carne de gado, já que a de gado é mais cara. O óleo de soja, conforme ele, também tem sofrido um grande aumento. O proprietário destaca que o lucro vem diminuindo cada vez mais, enquanto que os preços dos alimentos sobem constantemente. "Outro  problema que percebemos é que aumentou o desemprego e, como consequência, isso diminui o fluxo de clientes", lamenta. 

NEGOCIAÇÕES

A mesma situação é realidade na Brolese Solo Pizzaria, que também atende como restaurante. Conforme o proprietário, César Brolese, para que a elevação dos valores dos alimentos não prejudique o andamento do negócio ele tem buscado negociar com fornecedores visando a compra de uma quantidade maior e tentando baixar o preço. "Desde o final do ano passado os preços estão cada vez mais elevados", conta. 

Entre os produtos mais usados no restaurante estão a carne tomate e queijo que, segundo ele, também vêm sofrendo alta. "Tentamos negociar produtos, mas o grande problema é o monopólio. Quem quer comer um filé não quer outra coisa e no caso da pizza tem que ter mozarela. Só nos resta negociar bem e ter grana na mão", acrescenta.  

O proprietário do Restaurante Centenário, Vandinei Cenci, define o momento como complicado e a perspectiva de uma melhora no negócio é esperada de fato a partir do próximo ano. Segundo ele, chama atenção o aumento principalmente dos preços das carnes, tanto que a de gado, nos últimos quatro anos, praticamento dobrou o valor. Para driblar a crise, as apostas são nas promoções: "Tentamos repassar o menos possível aos clientes, porque sabemos que o momento econômico não requer isso, mas então vamos buscando os melhores preços".

 

 

 

 


Foto: Pixabay/Divulgação
Alta dos preços dos alimentos tem impactado nos restaurantes
Alta dos preços dos alimentos tem impactado nos restaurantes