A trajetória da santa-cruzense que tem no cuidar a sua vocação


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 01/05/2022 17:00

Geral   DIA DO TRABALHO

A santa-cruzense Josefa Ribeiro de Oliveira, com seus recém completados 63 anos, é daquelas profissionais com o brilho no olhar quando falam da sua rotina, do seu trabalho. Uma vocação que surgiu ainda na infância. Ao conviver com o avô, que faleceu quando ela tinha apenas 11 anos, de problema cardíaco, Josefa externou para a mãe que queria cuidar das pessoas doentes quando crescesse. Esse zelo já estava presente nas brincadeiras de criança, quando se imaginava cuidando de alguém, medicando para curar as dores.

Foi ao natural sua escolha. Toda sua trajetória profissional está ligada à área da saúde, pois foi aos 18 anos de idade que ingressou no Hospital Santa Cruz, na época em que era gerido pelas irmãs. De copeira, tão logo iniciou os primeiros cursos na área de Enfermagem, Josefa passou a cuidar das pessoas. O trabalho no Hospital Santa Cruz era feito em paralelo aos estudos, assim como chegou a conciliar também com o Hospital Ana Nery, até concluir o curso Técnico em Enfermagem. A preferência pela obstetrícia conduziu sua atuação ao longo de 23 anos, à noite, no Hospital Ana Nery, e nesse tempo, três anos acabou conciliando com o Hospital Vera Cruz, onde ingressou em 2007.

Ao relembrar sua trajetória, “Sefa”, como Josefa é carinhosamente chamada, soma histórias de realização pelo que faz - e que faz questão de fazer mesmo depois de aposentada, desde os 39 anos. Há 12 anos ela optou por trabalhar exclusivamente em Vera Cruz, e diz que no HVC se sente parte de uma família, tamanha é a acolhida. E com sua dedicação, especialmente na área da obstetrícia, Sefa também acaba fazendo parte de muitas e muitas famílias vera-cruzenses.

Certa vez, ouviu de uma mãe, que estava no HVC, que seu filho, já com 10 anos de idade, queria muito conhecer a “tia do vídeo”, referindo-se à técnica, que foi quem deu o primeiro banho no recém nascido. Pois o encontro dos dois aconteceu, conta Josefa, e foi emocionante. É justamente o cuidado com as crianças e gestantes que a cativou nessa profissão, tanto que a maior parte da sua trajetória está ligada à obstetrícia. “Acompanho um momento único e especial, o bebê que nasce, é muito gratificante. É a vida que se renova diante dos meus olhos”, frisa ela, que guarda em casa um álbum de fotos dos bebês que ajudou a nascer, lembranças enviadas pelos pais, agradecidos. Sem contar nos tantos convites para aniversário dessas crianças que já recebeu. Josefa se tornou parte de muitas famílias.

Não é difícil se emocionar ao falar do trabalho que tanto ama,porque o faz com sensibilidade, acolhimento, empatia. “Sempre é preciso se colocar do outro lado, no lugar do paciente. É preciso ouvir, às vezes 50% do tratamento é dar ouvido e atenção ao paciente”, acredita a Técnica em Enfermagem, que é vista pelos colegas como exemplo de profissionalismo, de experiência, como uma inspiração.


Foto: Carolina Almeida / Jornal Arauto
Santa-cruzense Josefa Ribeiro de Oliveira, com seus recém completados 63 anos, é daquelas profissionais com o brilho no olhar
Santa-cruzense Josefa Ribeiro de Oliveira, com seus recém completados 63 anos, é daquelas profissionais com o brilho no olhar