ACI de Santa Cruz completa 104 anos


Por: Portal Arauto
Fonte: Assessoria de Imprensa
Publicado 02/01/2022 14:04
Atualizado 02/01/2022 14:05

Geral   EMPRESAS

A Associação Comercial e Industrial (ACI) de Santa Cruz do Sul, uma das mais representativas entidades empresariais da região, comemora, neste domingo (2), 104 anos de atuação. A data coincide com o final da gestão do 2020-2021, que esteve sob o comando do presidente Gabriel Haas de Borba. O processo sucessório, concluído em novembro passado, elegeu como novo presidente da ACI para próximo biênio, Cesar Antonio Cechinato, e vice, Paulo Roberto de Sousa Bigolin, confirmando a tradição da entidade de eleger o vice-presidente da gestão anterior. 

Anos desafiadores marcaram a gestão de Borba. As restrições impostas pela pandemia do Coronavírus e seus impactos econômico e social também afetaram o planejamento entidade, que teve que se readaptar à nova realidade, investindo em ações inovadoras. Os tradicionais eventos como o Tá na Hora, Café Empresarial e os encontros da Comissão de RH, marcados pela grande presença de público, passaram a acontecer em formato on-line e, mais recentemente, híbrido, para atender às regras de distanciamento social e os protocolos sanitários. Também o Prêmio Líderes e Vencedores de Santa Cruz, realizado de forma exclusiva pela ACI no interior do Estado,  teve uma edição virtual. O compromisso de atender os associados e representar as bandeiras dos setores empresariais, contudo, permaneceram inalterados e ainda mais fortalecidos. 
 
Ações de representatividade para amenizar os danos à economia gerados pela pandemia e apoiar os empreendedores locais  foram implementadas pela entidade.  Manifestações pela prorrogação do prazo de  pagamento de impostos municipais, como IPTU e ISS,  e por mais facilidades de acesso a linhas de crédito, estiveram nas pautas defendidas pela ACI, assim como a defesa do projeto de lei da desoneração da folha doe pagamento.
 
Posicionamento presente também na última eleição municipal. A ACI entregou a cada candidato à Prefeitura de Santa Cruz uma carta-compromisso com  demandas para o desenvolvimento do município. Grande parte das propostas pediam medidas de desburocratização da gestão pública e o uso da tecnologia para agilizar os procedimentos nas diferentes áreas, facilitando o acesso on-line, principalmente no campo do empreendedorismo. Propunha ainda uma maior interação da gestão pública com as entidades e a comunidade, além do incremento das parcerias público-privadas.
 
DUPLICA 287 –
A mobilização histórica que reuniu diversas entidades e organizações da região em favor da duplicação da RSC 287,  teve a ACI como uma das protagonistas.  

A entidade defendeu essa demanda de forma intensa, conseguindo finalmente concretizá-la com o êxito do leilão na Bolsa de Valores, em São Paulo, que concedeu a concessão à empresa Sacyr. O ato contou com a presença de uma comitiva da entidade que entregou um portfólio do município aos executivos da empresa vencedora, junto com o convite para que instalasse sua sede administrativa na cidade. A ação foi decisiva para que a Sacyr confirmasse o empreendimento em Santa Cruz, gerando 200 novos empregos. 
 
Novos serviços  – Em parceria inédita no Estado, ACI trouxe para a região o serviço de análise positiva de crédito, através da QUOD – uma fintech que pertence aos cinco maiores bancos  que atuam no país. Recentemente, firmou também parceria com os Cartórios de Protestos do RS para facilitar o método de cobrança de seus associados e oferecer outras vantagens para recuperação de crédito.
 
Em outra ação de protagonismo, criou a Câmara de Arbitragem – CAACI - a primeira do interior do Estado. Em 2021, a Câmara realizou sua primeira arbitragem no município e vem fortalecendo sua atuação na região. Recentemente, a CAACI conclui um curso para formação de novos árbitros, já preparando a expansão da arbitragem como forma moderna, ágil e eficaz de solução de conflitos, sem a participação do Poder Judiciário.  
 
Ao deixar o cargo, Borba fez um balanço positivo de sua gestão e agradeceu o apoio da diretoria e dos colaboradores da entidade.  “Deixo a ACI com o sentimento do dever cumprido e com a certeza de que o trabalho realizado até aqui será mantido e aperfeiçoado pela próxima gestão”. 
 
Nova gestão -  Dar continuidade aos projetos e ações em andamento e  fortalecer ainda mais o papel representativo da entidade na região são pautas da nova gestão.  Temas como inovação, reformas tributária e administrativa para a redução do custo Brasil e o estímulo ao empreendedorismo, que historicamente têm orientado a atuação da ACI, devem ser priorizados, destaca o presidente eleito, Cesar Cenchinato.  “Trabalhar para o desenvolvimento de Santa Cruz e da região, criando caminhos para fortalecer o ecossistema empreendedor, é a vocação e a principal finalidade da ACI como entidade de classe”.
 
Cechinato cita as mobilizações para a duplicação da RSC 287 - que permanece ativa - e instalação da sede da concessionária responsável pela obra no município, além de ações em defesa da prorrogação da desoneração da folha de pagamento, como exemplos do poder da união de forças na defesa do desenvolvimento regional e da preservação do emprego e renda. 
 
Destaca que é meta da nova gestão fortalecer essas parcerias, estimulando a integração com outras entidades e organizações para potencializar resultados. Parcerias que serão estendidas também aos serviços e produtos oferecidos pela entidade, como já é feito atualmente, com o objetivo de tornar ainda mais evidente a atuação da ACI como centro gerador de negócios. 
 
Memória -
Primeira entidade empresarial do município, fundada em 2 de janeiro de 1918, a Associação Comercial e Industrial (ACI) de Santa Cruz do Sul atua para o desenvolvimento da região e o fortalecimento da atividade empresarial. Uma trajetória construída com o apoio dos segmentos que representa – comércio, indústria, serviços, agronegócio e profissionais liberais. Com forte presença nos assuntos de interesse regional, é reconhecida por sua grande representatividade (é a maior da região em número de associados), por sua atuação voluntária e por ser um centro gerador de negócios.


Foto: Divulgação
Borba (centro) e os eleitos, Cechinato e Bigolin: tradição mantida
Borba (centro) e os eleitos, Cechinato e Bigolin: tradição mantida