Família atende desejo de jovem vera-cruzense e doa órgãos


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 18/09/2021 07:00
Atualizado 18/09/2021 11:56

Geral   APESAR DA DOR

T odos os anos, milhares de vidas são salvas através da doação de órgãos. Esse ato nobre certas vezes ocorre em vida, já em outras se dá em meio ao luto de famílias que choram a perda de um ente querido, mas encontram forças para pensar também no próximo. Foi o que fez recentemente a família do vera-cruzense Samuel Pimentel de Oliveira, de apenas 22 anos. O jovem já tinha manifestado em vida a vontade de ser um doador, desejo que foi acolhido pelos pais, a esposa e os irmãos após a confirmação de morte encefálica no último fim de semana, em decorrência de um AVC Isquêmico.

As inúmeras mensagens deixadas pelos amigos e familiares de Samuel em suas redes sociais falam do garoto alto astral, companheiro e de sorriso fácil que encantou a todos com quem conviveu. Ao dizer sim para a doação, o desejo da família é de que tamanha alegria possa se multiplicar e tocar a cada um que vai receber os órgãos doados. Nas redes sociais, a irmã Geísa Raupp falou sobre o desejo de Samuel, a quem descreveu como seu melhor amigo. “[..] Sorriso fácil, gatão, vaidoso e, o principal, o carinho em pessoa. Não tinha vergonha de demonstrar sentimento e só via o bem nas pessoas. Sabe o que eu não sei? Como vai ser a minha vida sem ele. A minha única certeza é que ele pensou em tudo, ele foi tão incrível que mesmo depois de partir desse mundo vai se fazer presente. Tinha como desejo a doação de órgãos e estamos fazendo de tudo pra que isso aconteça. E por que falar isso agora? Por que o nome dele é Samuel Pimentel de Oliveira, ele é meu irmão e é o cara. Ao invés de perguntar pra Deus o porquê das coisas serem assim eu prefiro agradecer por ele me permitir viver a alegria de ter tido o Samuel aqui”, publicou Geísa. 

O PROCEDIMENTO

Com a doação, coração, fígado e rins de Samuel poderão salvar a vida de quem espera na fila por um transplante - que somente no ano passado chegou a 50 mil pessoas no Brasil. A captação foi realizada no Hospital de Caridade e Beneficência de Cachoeira do Sul (HCB) nesta quinta-feira, dia 16, por uma equipe composta por seis médicos e dois enfermeiros sendo eles do Hospital de Clínicas e da OPO7 (Organização de Procura por Órgãos). Conforme demais informações repassadas pelo Núcleo de Comunicação do HCB, essa é a terceira captação realizada pelo hospital em 2021, totalizando 32 captações desde 2002. 

De acordo com a enfermeira Vanessa Moura, coordenadora da Unidade de Alta Complexidade (UTI, Bloco Cirúrgico, Serviço de nefrologia e Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes - CIHDOTT) do hospital, esse ano foram abertos seis protocolos por morte encefálica, e um paciente não pôde se tornar doador, por  ser incompatível com a doação. Além da captação de órgãos realizada ontem, as demais ocorreram em 21 de julho e 3 de agosto deste ano. Segundo a enfermeira, outras duas captações não foram autorizadas pelas famílias.

A equipe do HCB lembrou, ainda, a importância de manifestar o desejo pela doação de órgãos em vida aos familiares e deixar claro que eles poderão autorizá-la. Pela legislação brasileira, não basta a vontade do doador, a família precisa autorizar a doação.

SEPULTAMENTO

A despedida a Samuel ocorreu na tarde desta quinta-feira, na Capela do centro de Vera Cruz. O sepultamento, também na tarde de ontem, foi junto ao Cemitério Municipal de Vera Cruz. Samuel deixa enlutados a esposa Emilin Gabriele, os pais Carlos Cezar de Oliveira e Rita Eraci dos Santos Pimentel, irmãos Geísa Raupp, Halis Pimentel, Ialber Oliveira e Thomas Pimentel, e demais familiares e amigos.


Foto: arquivo pessoal
Samuel é lembrado como um jovem alegre e alto astral
Samuel é lembrado como um jovem alegre e alto astral