O que se sabe sobre a vacinação contra a Covid-19 de pessoas com comorbidades


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 27/04/2021 07:10
Atualizado 27/04/2021 07:18

Geral   NA ESPERA

Alguns municípios gaúchos, como Estância Velha e Esteio, já iniciaram a vacinação contra a Covid-19 em pessoas com comorbidades. Após o público com 60 anos ou mais, esse é o próximo grupo prioritário a ser imunizado - contemplando adultos de 18 a 59 anos -, conforme Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a doença. Porém, no Vale do Rio Pardo este movimento ainda não ocorre, já que os municípios seguem aplicando doses em idosos e precisam finalizar primeiro esta demanda.

Uma das responsáveis pelo Setor de Imunizações da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (13ª CRS) Marlene Webber Andriolo explica que o início da imunização desse público depende do quantitativo de doses que a região vai receber nas próximas semanas, bem como do andamento da vacinação nos municípios. “Ainda não sabemos se a próxima remessa de vacinas será destinada a finalizar a aplicação da segunda dose em idosos ou para contemplar o grupo de comorbidades. Quando um novo lote for recebido vai ocorrer uma reunião extraordinária da CIB [Comissão Intergestores Bipartite], com representantes do Cosems/RS [Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul] e da Secretaria de Saúde, na qual será pactuado o quantitativo e para qual público-alvo devem ser destinados os imunizantes nos municípios”, esclarece. 

CRITÉRIOS PARA SE VACINAR

Segundo Marlene, o que se sabe até agora é que no momento da vacinação pessoas com comorbidades deverão apresentar prescrição médica, exames, receitas e relatório médico, comprovando que pertencem a esse grupo de risco para o coronavírus. 

Enquadram-se patologias como diabetes, pneumopatias crônicas graves, anemia falciforme, obesidade mórbida, síndrome de down, cirrose hepática, hipertensão arterial ou pulmonar, pessoas com HIV, em tratamento de câncer ou transplantados de medula, além de doenças cardiovasculares, cerebrovascular e renal crônica. No Estado, 1.150.997 pessoas possuem comorbidades, porém, na região esse quantitativo ainda não foi repassado a 13ª CRS.

Quanto à ordem de aplicação das doses em pessoas com comorbidades, o Governo Federal recomenda que seja feita por grupos de idade. Dessa forma, seriam chamados para se vacinar, inicialmente, pessoas entre 55 e 59 anos, depois de 50 a 54 anos, e assim por diante. Marlene esclarece que ainda não está definido como essa questão vai se dar na região. Ela acredita que municípios com quantitativo maior de pessoas irão realizar a imunização de forma escalonada, enquanto que cidades menores talvez optem por abrir a vacinação para todas as faixas etárias que se enquadram nesse grupo, ou seja, pessoas entre 18 e 59 anos. 


Foto: Jornal Arauto / Taliana Hickmann
Após idosos, comorbidades é o próximo grupo a se vacinar contra a Covid-19
Após idosos, comorbidades é o próximo grupo a se vacinar contra a Covid-19