Santa Cruz é o primeiro município a receber da Corsan o Plano de Segurança das Águas


Por: Portal Arauto
Fonte: Assessoria de Imprensa
Publicado 31/03/2021 12:44
Atualizado 31/03/2021 12:45

Geral   MEIO AMBIENTE

Santa Cruz do Sul é o primeiro município do Estado e um dos primeiros do Brasil a contar com um Plano de Segurança das Águas. O documento foi entregue a prefeita Helena Hermany pelo diretor de Operações da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), engenheiro André Beltrão Finamor, e pela gerente de projetos operacionais, engenheira Daniela de Bacco Freitas da Silva, na manhã desta quarta-feira, dia 31.

O plano é uma recomendação do Ministério da Saúde e deve ser elaborado para todas as prefeituras do Brasil pelas concessionárias responsáveis pelos sistemas de abastecimento de água. “A Corsan teve este pioneirismo e o primeiro plano que concretizamos foi para Santa Cruz do Sul”, disse Finamor. O instrumento avalia a capacidade do sistema em fornecer água em quantidade e em qualidade adequadas para o consumo humano. 

No documento, que contém 144 páginas, estão identificados perigos potenciais e riscos em todas s etapas do sistema, desde o manancial, passando pela rede de distribuição e reservatórios, até o consumidor. O relatório traz ainda um plano de contingência para responder às falhas no sistema, com medidas de controle e parâmetros de monitoramento para redução da probabilidade de eventos excepcionais e emergenciais, como a falta de água. 

Para elaboração do plano foi realizada visita técnica ao sistema de abastecimento. Foram inspecionadas todas as unidades e coletados dados e informações técnicas operacionais necessárias à realização do diagnóstico. 

Esta semana o documento será entregue também à Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Santa Cruz do Sul (Agerst).


Foto: Luiz Fernando Bertuol/ Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Santa Cruz
O plano é uma recomendação do Ministério da Saúde e deve ser elaborado para todas as prefeituras do Brasil
O plano é uma recomendação do Ministério da Saúde e deve ser elaborado para todas as prefeituras do Brasil