Santa-cruzense entre as melhores do Brasil no atletismo


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 31/03/2021 19:00

Geral   RANKING NACIONAL

O Vale do Rio Pardo esteve representado nas etapas argentinas do Grand Prix Sul Americano de Atletismo, ocorrido entre a última sexta-feira, dia 26, e o domingo, dia 28, na cidade de Concepción del Uruguay. O circuito é o principal da América do Sul e contou com os melhores atletas do continente.

Representando a AMO/Unimed/Miller Supermercados, a atleta Jaqueline Weber participou de duas provas, uma na sexta-feira e outra no sábado. Na estreia, a santa-cruzense participou da prova de 1.500 metros, onde enfrentou dificuldades que a fizeram abandonar a prova. “Infelizmente, na segunda volta, senti um desconforto na posterior da coxa e abandonei a prova, com o intuito também de conseguir me recuperar para os 800 metros do dia seguinte, que é minha principal prova”, ressalta a corredora. Na tarde de sábado as dores ainda estavam acompanhando a atleta, que mesmo diante das dificuldades resolveu competir. “No sábado, depois de alguns tratamentos, mesmo com um pouco de dor, consegui correr os 800 metros e finalizei a prova na quinta colocação, com a marca de 2min09”, afirma a atleta, que com o resultado da prova conseguiu assumir a vice-liderança do Ranking Nacional Adulto da temporada de 2021, na categoria 800 metros feminino.

Determinação

Embora estivesse claramente abaixo das condições ideais para competir, Jaqueline afirma que  resolveu realizar a prova tendo em vista a possibilidade de ficar entre as melhores atletas brasileiras da categoria. “Sempre muito importante estar entre as três melhores, pois assim é possível conseguir no fim do ano o Bolsa Atleta, além de por vezes conseguir a convocação para a seleção brasileira, que participa de campeonatos Sul-americanos, Pan-americanos, Olimpíadas, entre outros”, afirma Jaqueline, que ficou satisfeita com o resultado obtido na competição. “Como eu estava com um pouco de dor, acabei fazendo uma prova mais conservadora, me posicionando mais no meio do pelotão, o que não é muito meu estilo de corrida. Então tive um pouco de dificuldade para reagir na segunda volta e buscar o pódio. Lembrando que os 800 metros são também uma prova muito tática”, afirma a competidora.

Segundo a atleta, todas as provas que contam com arbitragem oficial e homologação da federação internacional de atletismo valem para o ranking nacional, independente se ocorrerem dentro do Brasil ou no exterior. Assim, toda prova pode ser decisiva para que a atleta possa continuar em alto nível, disputando competições contra as melhores corredoras da América do Sul e do mundo. “Foi muito importante estar em uma competição com as melhores da América do Sul, também para verificar como eu estou. Nestes dois dias, conseguimos detectar algumas coisas que vamos trabalhar para  realizar estes ajustes necessários visando as próximas provas”, ressalta Jaqueline, que acredita estar competindo novamente daqui a duas semanas. “Estamos avaliando as possibilidades de competição, tanto no Brasil, quanto no Uruguai. Vai depender dos protocolos e das liberações sanitárias”, reforça a atleta.

Para as disputas que se avizinham pela  frente, Jaqueline afirma estar com grandes expectativas. “Pretendo trabalhar alguns aspectos para tentar correr a marca de 2min07 na próxima oportunidade”, conta. Atualmente a líder do ranking em  2021 é a atleta paulista do Pinheiros, Mayara dos Santos Leite, que tem a marca de 2min08s.

 


Foto: Divulgação
Jaqueline durante prova na Argentina
Jaqueline durante prova na Argentina