Aos 12 e 10 anos, Zé e Petúnia ganham um lar, um trabalho e até uniforme da empresa


Por: Portal Arauto
Publicado 25/03/2021 10:20
Atualizado 25/03/2021 10:23

Geral   VOVÔS TAMBÉM AMAM

Quando Jones Bergmann era criança e corria pelos campos de Linha Saraiva, no interior de Santa Cruz do Sul, tinha nos cachorros da família seus principais companheiros. Com poucos vizinhos, ele encontrava nos animais a alegria para as aventuras da infância. Igualzinho a mãe, que sempre foi apaixonada por cães, Bergmann cresceu com uma certeza: sempre iria querer um amigo de quatro patas por perto.

Por isso, quando saiu de casa, deixou o interior e foi morar no centro de Vera Cruz, não foi diferente. É lá que divide seus dias com Cissa e Luke, a quem ele escolheu amar. Dessa forma, ao abrir uma empresa em dezembro do ano passado, sabia que faltariam peças importantes para o local se tornar um lar para funcionários e clientes. Foi assim que ele teve certeza que ali, em meio ao ambiente de trabalho, precisaria da presença de cães.

De dezembro até março, a empresa Ambiclean Soluções Ambientais passou por reformas e tudo foi preparado para bem receber os moradores. A hora havia chegado. Bastava encontrar quem, com certeza, também aguardava por esse momento. E, de repente, tudo fez sentido. Ao navegar pelas redes sociais no último fim de semana, uma postagem da vereadora Bruna Molz chamou a atenção do empresário. Na foto, estava Zé, um cão idoso de 12 anos que aguardava há três por um novo lar.

Encantado com a foto, o empresário de 34 anos logo entrou em contato. "O que me encantou nele foi o sorriso e o rosto alegre. Os cachorros transmitem uma alegria, uma motivação tão grande, são persistentes e acho que isso a gente precisa ter na nossa vida particular e também profissional. O ambiente de trabalho tem que ser alegre, tem que ter pessoas que passam isso diariamente. Então eu pensei: vou adotar cachorros para a minha empresa, por amar cachorros e porque ninguém melhor do que eles para transmitir isso. Nós, humanos, temos que aprender com os cachorros. Os cães nos ensinam sobre lealdade, companheirismo, motivação e, principalmente, não pedem nada em troca. Somente amor. Isso é o mais importante de tudo", destaca.

Foi assim que Zé, que foi abandonado duas vezes, ganhou uma família que estará sempre presente. Bergmann conta que ao ver seu sorriso, mesmo sabendo de tudo que ele havia passado vivendo na rua e resgatado com lesões e bicheira, o fez ter certeza que essa seria a sua melhor escolha. "Esse cachorro está precisando ser abraçado, foi o que eu pensei. E ele vai ser abraçado pela empresa, pelo proprietário, funcionários e pela Petúnia", conta. Mas, quem é Petúnia?

Quando foi ao encontro de Bruna Molz para adotar Zé, Bergmann já sabia: aquele cão idoso e feliz precisa de uma companhia. "Entrei em contato com o Canil Municipal, pedi por cães idosos e calmos e logo me mostraram a foto de Petúnia. Quando eu fui ao canil, eles prontamente me levaram no local que ela estava e quando eu me aproximei, ela me viu e veio correndo! Foi incrível! Um cão que nunca tinha me visto, me lambendo e meio que chorando. Na hora, eu vi que era para ser ela", descreve.

Assim como Zé, Petúnia também foi vítima do abandono. Aos 10 anos, entrou no Canil Municipal no dia 31 de dezembro de 2020, com muitas lesões e com queimaduras profundas. As marcas do seu passado ficaram, inclusive, eternizadas em uma grande cicatriz pelo corpo. "Quando eu vi o rosto de alegria, igual ao Zé, reafirmei que é isso que eu preciso dentro da minha empresa. Quem acha que cachorro idoso não transmite alegria está muito enganado. Cachorro é fantástico, é de uma lealdade, de um amor imediato que não tem explicação. Agora, os dois vão ser presenças marcadas, vão ser mascotes da empresa, vão ganhar crachá e até uniforme. Vão estar juntos! Como trabalhamos com serviços ambientais, o meu plano é ter um ambiente ecológico no fundo do pátio, com muitas flores, árvores frutíferas e grama", relata.

É nesse ambiente acolhedor, repleto de carinho dos funcionários e clientes, que Zé e Petúnia passam a morar. Nesta terça-feira (23), na semana do Dia Municipal da Adoção, os dois se conheceram e passaram a trilhar, juntos, uma nova vida, longe do abandono, da dor e da espera por um lar. "O meu desejo para os dois é que eles se sintam muito amados, acolhidos, felizes com a nova casa, com o novo trabalho. Vão ter uma equipe junto a eles para proteger e recepcionar com sorrisos maravilhosos. Minha maior missão agora é fazer eles esquecerem tudo que eles sofreram. Esquecerem o abandono e as agressões, para eles terem outra visão de nós seres humanos, até o último dia de suas vidas", diz. 


Foto: Divulgação
Jones Bergmann, ao lado de seus dois novos amigos
Jones Bergmann, ao lado de seus dois novos amigos

Foto: Divulgação
Zé - 12 anos
Zé - 12 anos

Foto: Divulgação
Petúnia - 10 anos
Petúnia - 10 anos