Fura-fila e rachadinha passam a ser apuradas pela Câmara de Vera Cruz


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 17/08/2020 18:50
Atualizado 17/08/2020 18:57

Geral   POLÍTICA LOCAL

O 17 de agosto de 2020 marca a história política de Vera Cruz. Duas denúncias contra a conduta de vereadores e vice-prefeito do município foram votadas e aprovadas no Legislativo. Uma delas diz respeito ao esquema Fura-Fila e a outra à divisão de salários e férias de servidores - prática conhecida como “rachadinha” (veja detalhes de cada uma delas abaixo e quem são os citados).

Em resumo, a noite foi para saber se o plenário aprovava a instalação das Comissões Parlamentares Processantes (CPPs), que irão apurar os fatos narrados nas denúncias e então emitir relatórios a serem apreciados em votação, também na Câmara. Cada comissão é formada por três vereadores.

Antes de votar pela instalação ou não da comissão processante, o denunciado no esquema de rachadinha, Waldir Justmann, pediu que todos os colegas, independentemente de cor partidária, votassem a favor pela instalação da CPP que apura a sua conduta. 

Com decisão unânime e sem os votos de Justmann, ora denunciado, e Marcelo Rodrigues de Carvalho, na condição de denunciante, a comissão foi instalada. Composta pelos vereadores Martin Nyland, Maria de Fátima Gomes dos Santos e Flávio Schunke, os trabalhos, bem como a definição de cargos, iniciam nesta terça-feira (18). 

Quanto à CPP do Fura-Fila, a decisão do plenário também foi unânime. Já nesta comissão, fazem parte os vereadores Flávio Daniel Schunke, Horst Frederico Schuh e Ludwig Conrad.

AS DENÚNCIAS

A Operação Fura-Fila teve origem no Ministério Público e foi deflagrada em dezembro de 2017. No final do ano passado, a denúncia foi remetida e aceita pelo Poder Judiciário. Oito nomes foram apontados nela, entre eles os dos vereadores Eduardo Wanilson Martins Viana, Marcelo Rodrigues de Carvalho e Mártin Fernando Nyland  e do vice-prefeito Alcindo Francisco Iser. Eles respondem na esfera judicial por organização criminosa e peculato eletrônico. Na última semana, Jerônimo Dilamar da Silva, na condição de cidadão vera-cruzense, fez denúncia formal no Legislativo.

Já a denúncia da rachadinha, no âmbito político, foi protocolada pelo vereador Marcelo Rodrigues de Carvalho, na manhã desta segunda-feira (17), e é embasada em documentos entregues ao Ministério Público na última sexta-feira. Na denúncia de hoje foi informado um suposto esquema de repasse de parte de salários e férias. No documento cita os períodos em que a tal prática teria ocorrido, bem como os servidores que teriam repassado valores, garantindo, dessa forma, a permanência no cargo. O presidente do Legislativo, Waldir Justmann, tem o nome mencionado no documento.


Foto: Lucas Batista / Jornal Arauto
Fura-fila e rachadinha passam a ser apuradas pela Câmara de Vera Cruz