Conselho autoriza repasse de R$30 mil para recuperação das nascentes do Arroio Castelhano


Por: Portal Arauto
Fonte: Assessoria de Imprensa
Publicado 18/07/2020 15:19
Atualizado 18/07/2020 15:37

Região   VENÂNCIO AIRES

O trabalho que vem sendo realizado desde 2018 de recuperação das nascentes do Arroio Castelhano terá continuidade. Isso porque o Conselho Municipal de Gestão Compartilhada de Venâncio Aires autorizou na última reunião, o repasse de R$ 30 mil do Fundo para o Programa Municipal de Recuperação das Nascentes do Arroio Castelhano.

O valor será destinado, principalmente para a compra de material necessário para a recuperação das nascentes conforme demanda. Em contrapartida, a Prefeitura fornece mão de obra e técnicos para a elaboração do projeto ambiental.

Desde 2018, a Prefeitura, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Emater/Ascar-RS com a colaboração de empresas e entidades locais tem trabalhado na estruturação das vertentes naturais de água. Até o fim do mês passado, 15 nascentes em diversas localidades já haviam sido recuperadas pelo Programa Municipal de Recuperação das Nascentes do Arroio Castelhano.

A última nascente recuperada foi em Linha Arroio Grande. Na próxima semana, deve ser finalizada a nascente em Linha Sapé e a próxima a ser recuperada dentro do cronograma será a da Vila Deodoro, na Santinha. O processo é realizado a partir de uma parceria entre Executivo, Sicredi e os clubes de Rotary da cidade.

Até agosto do ano passado já foram catalogadas ao todo 243 nascentes. O mapeamento foi feito a partir do plano e ações que buscam garantir proteção e controle dos mananciais.

Fundo

O montante que será investido nos trabalhos daqui para frente é oriundo de uma parte do contrato com a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), destinada para a gestão do serviço de abastecimento de água e tratamento do esgoto, e que desde 2010 aporta um montante para o Fundo, cujo valor também é destinado para as obras de canalização e esgoto. A partir deste Fundo outras ações educativas, ambientais também podem ser realizadas, após deliberação e aprovação do Conselho, formado por integrantes do Executivo, Sociedade Civil e membros das Corsan.


Foto: Leandro Osório/AIPMVA