Prisão de Rafael Barros é prorrogada por tempo indeterminado


Por: Portal Arauto
Publicado 05/06/2020 17:24
Atualizado 05/06/2020 17:27

Política   CORRUPÇÃO NA PANDEMIA

Após ter a prisão temporária prorrogada no último sábado, o prefeito afastado de Rio Pardo, Rafael Reis Barros (PSDB), teve a prisão preventiva decretada na tarde desta sexta-feira (5). A decisão foi do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) e é válida também para o ex-procurador-geral da Prefeitura, Milton Coelho. Com isso, ambos estão recolhidos por tempo indeterminado.

Preso desde o dia 29 de maio, Barros foi um dos 15 alvos da Operação Camilo, desencadeada pela Polícia Federal. A investigação apura os crimes de fraude em licitação, peculato, corrupção passiva, organização criminosa, ocultação de bens, crime de responsabilidade e desobediência. 

Contado pela reportagem do Portal Arauto, o advogado de defesa de Barros e Coelho, Ezequiel Vetoretti, emitiu uma nota dizendo que respeita, mas não concorda com a decisão de prisão preventiva e que por isso, irá recorrer. "Ao ver da defesa, o decreto de prisão preventiva está fundamentado e amparado em meras suposições: suposição de que os investigados, em liberdade, poderão praticar atos ilegais e suposição de que os investigados poderão atrapalhar a coleta da prova", explicou.

Além disso, a defesa destaca que "há 10 dias foi decretada a prisão temporária que serve justamente para evitar qualquer tipo de interferência nas investigações" e que, "a partir disso, não veio aos autos nenhum elemento novo capaz de demonstrar tentativas de interferência", concluindo que não há justificativa para a privão preventiva. A nota ainda esclarece que a defesa "apenas na tarde de ontem teve acesso ao longo inquérito policial" e que "do pouco que já foi analisado, percebeu muitas informações desencontradas e que serão, pelos investigados, facilmente esclarecidas"


Foto: Arquivo/Portal Arauto