Arauto Saúde: a importância do diagnóstico para o melhor tratamento do reumatismo


Publicado 18/04/2020 08:00
Geral Arauto Saúde   CUIDADOS Fonte: Jornal Arauto

Reumatismo é doença de pessoas mais velhas? Essa foi uma das perguntas respondidas pela médica reumatologista Micheline Sulzbacher Batista no Arauto Saúde desta semana. A profissional destaca quais são as doenças reumáticas mais comuns, os sintomas, tratamento, bem como a importância do diagnóstico precoce. Segundo ela, reumatismo é um termo para se referir a algumas das muitas doenças que podem ter como manifestação o acometimento do sistema musco esquelético. As autoimunes são patologias em que o sistema imunológico ataca estruturas ou órgãos do próprio corpo. “A dor articular pode ser uma das manifestações dessas doenças. Mas existem muitas outras manifestações clínicas que podem aparecer”, explica. A expressão “reumatismo no sangue”, criada há muitos anos e usada pelos médicos, se refere às doenças autoimunes, que, no geral, são acompanhadas de alterações por exames laboratoriais - os de sangue.

Existe, também, o reumatismo de partes moles,  conhecido por tendinite e bursite. Elas são inflamações de tendões. Já a artrose é o famoso desgaste articular. “Essas doenças estão mais relacionadas ao esforço repetitivo, à obesidade e à falta de condicionamento físico. Elas não são autoimunes”, detalha a médica, ao salientar que outras doenças tratadas pelo reumatologista são dores crônicas, fibromialgia e doenças do metabolismo ósseo, como osteoporose. “Diferente das tratadas até agora, ela é assintomática até apresentar as consequências, que são as fraturas”, aponta.

SINTOMAS E TRATAMENTO
Ao comentar de sintomas, Micheline destacou do mito que existe ao dizer que reumatismo é doença de pessoas mais velhas. “Pode ocorrer até mesmo em crianças e adolescentes”, frisa, ao elencar os sintomas mais frequentes: dor articular, inchaço das articulações, vermelhidão e enrijecimento das juntas, que é a dificuldade de movimentá-las. Esses sintomas são mais evidentes na parte da manhã. Podem estar presentes, dependendo da doença, ainda, sintomas gerais, como perda de peso, cansaço, febre, alterações cutâneas e mucosas. 

O diagnóstico, sublinha a profissional, é amplo. “Várias doenças podem causar dor articular, como infecções, alguns tipos de câncer e doenças metabólicas, a exemplo da tireoide”, diz. O tratamento tem evoluído muito nos últimos anos. “Antes, não existia um que evitasse as deformidades que podem resultar das doenças reumatológicas, quando não tratada. Era apenas dado medicamento para controle da inflação e da dor para conforto do paciente. Esse tratamento causava efeitos colaterais. Hoje, a reumatologia possui grande arsenal terapêutico com boa variedade de opções de tratamento que, comprovadamente, evitam que o paciente desenvolva as deformidades características do reumatismo, além de menos efeitos colaterais”, exemplifica.

(Foto Divulgação)







Corona - Aqui não passa!