compartilhe >>

IFSul Venâncio Aires está funcionando parcialmente após decisão de greve por parte dos servidores


Publicado 03/04/2024 14:11

Geral   EDUCAÇÃO

O Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul) campus Venâncio Aires está funcionando de forma parcial após a decisão de greve por parte dos servidores. A mobilização foi aprovada em assembleia geral do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe), realizada na última semana. A greve é um ato nacional, que mobiliza docentes e técnicos administrativos de diversas universidades federais, institutos federais e Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefets).

No caso da Capital Nacional do Chimarrão, a direção do IFSul ainda está avaliando os impactos das adesões e deverá decidir, posteriormente, se haverá ou não a suspensão do calendário letivo. Por enquanto, algumas aulas e serviços continuam ocorrendo normalmente, conforme o representante do Sinasefe do IFSul, campus Venâncio Aires, professor Daniel Pezzi da Cunha. "Estamos lutando por direitos trabalhistas e por condições orçamentárias que possibilitem a manutenção de uma educação pública gratuita e de qualidade a comunidade. Algo que merece nossa luta e empenho", reforça.

Confira ainda: Unisc desenvolve game para combate à dengue que pode ser usado nas escolas

Conforme o comunicado da Sinasefe, "os servidores reivindicam melhorias nas carreiras, nos salários e nos orçamentos das instituições federais de educação. Organizada pelo Sinasefe, em suas mais de 80 seções sindicais, a greve tem duração indeterminada."

O IFSul Venâncio Aires, através de nota oficial publicada em seu site, destacou que a decisão de aderir ou não a greve é individual de cada servidor. Além disso, explicou que a orientação recebida da Reitoria é pela não suspensão do calendário escolar imediatamente. "Portanto, iremos manter as aulas e caso não seja possível continuarmos com elas, o calendário será suspenso. Desta forma, os estudantes devem vir às aulas. Caso não seja possível mantê-las, avisaremos pelas redes sociais, site do Campus e grupos de WhatsApp de estudantes", informa a publicação.


Foto: Mônica da Cruz/Portal Arauto/Arquivo
Mobilização iniciou nesta quarta-feira com o objetivo de reivindicar direitos trabalhistas e melhores condições orçamentárias
Mobilização iniciou nesta quarta-feira com o objetivo de reivindicar direitos trabalhistas e melhores condições orçamentárias