compartilhe >>

Vida Gincaneira: do nascimento à morte ou à vida eterna?


Fonte: Grupo Arauto
Publicado 02/12/2023 08:00
Atualizado 02/12/2023 15:31

Geral   CONCURSO MULTIPLATAFORMA GRUPO ARAUTO E UNISC

Este material faz parte do Concurso Multiplataforma Grupo Arauto e Unisc e foi produzido por estudantes de Comunicação Social da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc).

Por Mariana Delavy Schneider e Milena Mueller

O título da Capital das Gincanas não foi destinado por acaso para Vera Cruz, a história dessa nomeação teve início no século passado. A produção audiovisual traz um olhar diferenciado à gincana e ressalta ela como um ciclo de vida. 

Nascimento

No ano de 1969 Vera Cruz vivia sua primeira gincana. A Gincana Automobilística desafiou casais vera-cruzenses a cumprirem tarefas de caráter cultural e esportivo. As tarefas aconteciam em locais determinados e as equipes, uma de cada vez, tinham que realizá-las.

Crescimento 

Os anos seguintes foram essenciais para que a história da gincana se consolidasse. Foi a partir dos 30 anos de emancipação do município que o termo Gincana Municipal passou a ser utilizado. “ A tarefa do Desfile, a Tarefa Show e a Tarefa do Enigma foram introduzidas em oitenta e nove e seguem até hoje” ressalta Tarcísio Henkes, ex-elaborador da gincana, que ainda salienta a importância do envolvimento do público nesse tipo de tarefa.

O desenvolvimento da gincana foi algo notório entre todos os cidadãos da cidade e também fora dela, o prefeito de Vera Cruz destaca “A gincana é um patrimônio cultural de Vera Cruz”. O maior evento do município já foi parar até no Guinness World Records em 2013 com uma tarefa que reuniu mais de 320 pessoas na Rua Cláudio Manoel para danças polonaise e que para o atual elaborador da gincana, Juliano Pauli, foi o maior feito da história.

Legado

Muitas equipes ajudaram a escrever a história da Gincana Municipal e fizeram essa trajetória ser um sucesso. Seis em especial marcaram e carimbaram seu nome na história. As equipes Kabonghi, Kaimana, Largados, Los Refugos, Selvagens e Xiruz evidenciam que hoje o maior desafio de participar da gincana, além dos custos, é a movimentação prévia dos gincaneiros. Nos momentos marcantes, unanimidade, o primeiro título, para aquelas que ainda não tem o destaque foi a conquista do pódio. 

As equipes são peça fundamental, mas sem os gincaneiros elas não acontecem, são milhares de pessoas que fazem a Gincana Municipal acontecer e muitas delas hoje já não estão mais presentes, mas deixaram seu nome registrado e são combustíveis para as equipes continuarem vivas ou colocarem um ponto final na sua trajetória. 

Morte ou Vida eterna?

As opiniões sobre a continuidade da Gincana Municipal divergem, para alguns a morte pode estar se aproximando, para outros a vida eterna é certeza. Será que a gincana está se encaminhando para morte ou para a vida eterna?

Confira o documentário:


Foto: Grupo Arauto
Documentário produzido por alunas da Unisc relata a história da Gincana Municipal de Vera Cruz desde seu nascimento até a atualidade
Documentário produzido por alunas da Unisc relata a história da Gincana Municipal de Vera Cruz desde seu nascimento até a atualidade