compartilhe >>

Levantamento revela alto risco de infestação por Aedes Aegypti em Santa Cruz


Fonte: Prefeitura de Santa Cruz do Sul
Publicado 01/12/2023 16:35

Geral   ALERTA

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesa) de Santa Cruz do Sul, divulgou nesta sexta-feira (1º), o resultado do Levantamento de Índice Rápido (LIRAa), realizado no período de 20 a 27 de novembro. A pesquisa, que auxilia na identificação de bairros ou áreas com maior risco de surtos de dengue, zika e febre chikungunya, revelou que o município encontra-se com alto risco de infestação e bem acima dos índices registrados anteriormente. Participaram do trabalho 21 agentes de combate a endemias.

Leia também: Sábado tem Feira de Adoção de Animais na Praça José Bonifácio

No levantamento atual, a Vigilância Epidemiológica vistoriou uma amostra de 2.591 imóveis, de um total de 56.703 considerados, distribuídos em 1.846 quarteirões e coletou 548 amostras, que resultaram em 188 positivas para o Aedes Aegypti. Foram encontrados focos em 161 imóveis, sendo apenas 13 focos em terrenos baldios. O trabalho incluiu bairros da cidade e localidades do interior, divididos em seis estratos. 

O resultado do LIRAa mostrou que todos os seis estratos apresentaram focos positivos para o Aedes e apenas um está em situação de médio risco, todos os demais estão em alto risco. Dentre os bairros com maior número de focos estão Ana Nery, Esmeralda, Avenida, Várzea, Schulz, Pedreira e Senai. Muito embora o estrato seis esteja em médio risco de infestação, dos 13 focos ali encontrados, cinco foram no Bairro Monte Verde, o que é preocupante. 

De acordo com a chefe de Combate a Endemias da Sesa, Julia Hoffmeister, contribuíram para o alto risco de infestação o excesso de chuvas ocasionado pelo fenômeno climático El Niño, em associação com as temperaturas registradas nesta época do ano. “São fatores que criam um ambiente propício para a reprodução do mosquito”, disse ela.

O último levantamento aponta ainda para um fato que chama a atenção e que é motivo de alerta: a incidência de focos em baldes, potes e pneus. Também é preciso ficar atento uma vez que cadeiras de praia, cozinhas de brinquedo e até carrinhos de bebê tornaram-se criadouros do mosquito. 

Este foi o LIRAa com maior número de amostras coletadas e o segundo com maior índice de infestação. Com base nos resultados do levantamento, do banco de dados do setor de endemias e dos dados epidemiológicos dos casos de dengue, zika e chikungunya serão planejadas ações e estratégias de combate ao Aedes.


Foto: Jaime Fredrich/ Prefeitura de Santa Cruz
Levantamento revela alto risco de infestação por Aedes Aegypti em Santa Cruz


Foto: Jaime Fredrich/ Prefeitura de Santa Cruz
Levantamento revela alto risco de infestação por Aedes Aegypti em Santa Cruz