PTG planta árvores para espalhar sombra


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 02/08/2022 10:00

Geral   VERA CRUZ

Passados poucos dias do plantio de árvores no centro de Vera Cruz, do programa de arborização da RGE, mais uma iniciativa para espalhar sombra e embelezamento por meio do cultivo de árvores ocorreu na manhã de sábado, dia 30, no Parque Municipal de Eventos Jurema Tornquist, em Linha Henrique D’Ávila. Desta vez, a iniciativa veio a galope, com o PTG Capão do Cedro em parceria com a Prefeitura Municipal. O PTG viu a necessidade do plantio de mais árvores no Parque Municipal, principalmente nas mangueiras e bretes do gado, para o bem-estar animal, explica Gelson Hoff, patrão da entidade tradicionalista. Esse plantio será estendido em mais ocasiões para tentar arborizar todo o parque. Foram 30 nesse primeiro dia, e as mudas plantadas foram de Uva do Japão, pois tem um crescimento rápido e sombra boa.

O PTG contou com a parceria da Secretaria de Obras na disponibilização de maquinário para agilizar o plantio, também parceria com a Secretaria de Cultura. “Nosso parque precisa ser mantido para que nossas entidades vera-cruzenses possam usufruir de uma estrutura boa e para que nossos visitantes sejam bem recebidos e gostem do local”, aponta Gelson, buscando a qualificação do espaço público com iniciativas simples, mas que irão refletir no conforto térmico dos animais e da própria comunidade que usufrui do espaço.

Atenção aos animais

Não é a primeira vez que se planta árvores no Parque Jurema Tornquist, mas um problema tem sido recorrente no local, aponta o titular da Secretaria de Cultura, Cristiano da Roza. “Já tentamos algumas vezes fazer o plantio de mudas, porém com o uso frequente por animais não autorizados, que acabam comendo as mudas e não as deixam crescer”, comenta. Por isso, para organizar a entrada de animais na estrutura do parque e outros usos, se estuda a possibilidade de um ecônomo no local, o que ainda passará por discussão.

Mas, independente dessa decisão, os tradicionalistas do Capão do Cedro conclamam à população, principalmente os moradores da localidade e os usuários do parque, que ajudem a cuidar das árvores, não soltem os animais no ambiente. “O parque é um patrimônio de todos e quanto mais preservarmos, mais condições de uso teremos. Salientamos que se cada entidade tradicionalista plantasse apenas 10 árvores e cuidasse delas, teríamos ainda mais sombra para nossos visitantes e para nós mesmos, pois sabemos o quanto o verão tem sido quente e sufocante e nesses momentos sentimos falta de uma boa sombra”, arremata Gelson Hoff, da patronagem do Capão do Cedro.


Taliana Hickmann/Jornal Arauto
Tradicionalistas querem evitar que animais destruam mudas recém cultivadas
Tradicionalistas querem evitar que animais destruam mudas recém cultivadas