Comércio de Santa Cruz projeta crescimento de 5% com o Dia dos Pais


Por: Portal Arauto
Fonte: Assessoria de Imprensa
Publicado 28/07/2022 20:22
Atualizado 28/07/2022 20:25

Geral   ECONOMIA LOCAL

O Sindicato do Comércio Varejista de Santa Cruz do Sul (Sindilojas-VRP) estima crescimento na faixa dos 5% para as vendas do Dia dos Pais. A data celebrada no segundo domingo de agosto, que neste ano será no dia 14, tem uma perspectiva um pouco menor de crescimento em razão da alta de preços dos produtos, motivada pela elevação no valor do óleo diesel - que impacta diretamente o preço do frete das mercadorias.

Para o presidente do Sindilojas-VRP, Mauro Spode, a perspectiva da Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado do Rio Grande do Sul (Fecomércio-RS) é positiva. O bom desempenho do Dia das Mães e do Dia dos Namorados (data que se firma no calendário como uma grande oportunidade de negócios para o varejo) ajuda a elevar as expectativas do ano, confirmando a retomada econômica no segmento.

“Embora o crescimento deva ser menor, na comparação com a data do ano passado, há uma tendência positiva, que prevê um ticket médio de R$ 200 por compra. Os itens mais procurados deverão ser nos segmentos de vestuário, calçados, perfumes, acessórios, materiais de escritório e informática, bem como, comunicação”, diz Spode.

Dois fatores ligados à economia deverão impulsionar as vendas. “O aumento das transferências do governo federal, como o Auxílio Brasil, e a redução do imposto sobre gasolina, energia elétrica e telecomunicações ajudaram a elevar o poder de compra do consumidor”, pondera o presidente do Sindilojas-VRP.

O dirigente revela, ainda, que outros fatores tendem a impactar, de forma positiva, a venda. “Atendimento aliado à variedade de produtos e a possibilidade de parcelamento das compras podem fazer a diferença na compra. Há uma projeção de que 65% dos consumidores irão parcelar suas compras. As vendas à vista devem responder por 35% das operações”, prevê Spode.

 


Foto: Ricardo Gais/Portal Arauto
Alta nos preços, motivada pela elevação dos combustíveis, impactará as vendas
Alta nos preços, motivada pela elevação dos combustíveis, impactará as vendas