Conesul é a vencedora de licitação da coleta seletiva ampliada em Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Publicado 28/06/2022 10:21
Atualizado 28/06/2022 11:00

Geral   MEIO AMBIENTE

A empresa Conesul, que já possui contratos com a Prefeitura de Santa Cruz do Sul, venceu a licitação da coleta seletiva de resíduos sólidos no município. Todo o processo licitatório foi concluído na tarde desta segunda-feira (27) conforme divulgado no site da Prefeitura. 

A execução de serviços de coleta seletiva será realizada em 20 dias nos bairros da área urbana do município. A Conesul foi declarada vencedora com o valor mensal por tonelada de R$ 163,57, totalizando um custo por mês de R$ 49.725,28. Conforme a empresa, no valor proposto estão inclusos todos os custos referentes a materiais, equipamentos, ferramentas, bem como todas as despesas e obrigações relativas aos salários, assistência técnica (quando solicitada), previdência social, tributos, entre outras questões necessárias. 

Especializada na prestação de serviços para empresas e Prefeituras, a Conesul Soluções Ambientais realiza a gestão total de resíduos, manutenção urbana, coleta, transporte e destinação final de resíduos sólidos, coleta e destinação final de resíduos de saúde, coleta de óleo vegetal usado, manutenção de redes hidráulicas e capina e varrição mecanizada de vias públicas em mais de 50 municípios do Rio Grande do Sul.

Relembre a polêmica

Recentemente diversas polêmicas  envolvendo a Prefeitura de Santa Cruz e a Coomcat foram registradas, inclusive resultado em protestos. O principal motivo das reclamações por parte da Coomcat era a privatização da coleta seletiva e da usina. A polêmica entre Prefeitura de Santa Cruz e a Cooperativa ocorreu em virtude de que o Executivo Municipal quis licitar 20 dos 36 bairros para o recolhimento dos materiais recicláveis, dos quais agora a Conesul ficará responsável por ter vencido o processo licitatório.

Veja mais: Trabalhadores da Coomcat se mobilizam em caminhada pelas ruas de Santa Cruz

A proposta da Prefeitura era de que a atual área da usina da Coomcat fosse demolida e feita uma análise e recuperação do solo do local. Com isso, os trabalhos seriam redirecionados para outro espaço. A cooperativa também passaria a ter um aumento de material reciclável de 50 para 120 toneladas e o trabalho nos atuais 15 bairros atendidos pela Coomcat seriam mantidos. No entanto, os integrantes da Cooperativa não concordaram com o posicionamento da Prefeitura.

Leia mais: Prefeitura de Santa Cruz emite nota a respeito de manifestação da Coomcat


Foto: Arquivo Portal Arauto
Empresa foi declarada vencedora com o valor mensal por tonelada de R$ 163,57
Empresa foi declarada vencedora com o valor mensal por tonelada de R$ 163,57