Máscaras de proteção ainda seguem na rotina de muitos


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 19/06/2022 08:00
Atualizado 19/06/2022 08:51

Geral   CUIDADO CONTÍNUO

Ouso de máscaras de proteção individual em Vera Cruz tornou-se facultativo desde 17 de março, exatamente há três meses, através de decreto da prefeitura. Considerando que havia redução consistente nos casos de Covid-19 e a imunização da população adulta com esquema vacinal completo era satisfatório (na época, o índice era de 88,2%), a flexibilização nas medidas de proteção foi um movimento natural, como também ocorreu nas demais regiões do Brasil.

 Apesar disso, o hábito da proteção através do uso do item seguiu na rotina de muitas pessoas, como a da aposentada Clarice Sehnem. “Eu sempre uso. Meu organismo é bastante afetado com qualquer sintoma gripal, então procuro me proteger ao máximo para não ficar vulnerável, principalmente agora no inverno. Felizmente lá em casa ninguém teve Covid, acredito que também por causa desse cuidado maior. Ontem saí de casa, percebi que havia esquecido e logo voltei para buscar. Infelizmente vejo poucas usando agora, mas eu procuro fazer minha parte”, disse.

Para Diego Goettems, auxiliar de serviços gerais, a máscara permanece no rosto pelo trauma que a pandemia deixou. “Eu não paro de usá-la porque não quero que se repita a situação difícil que tive em casa. No final de 2020, minha mãe ficou hospitalizada por mais de duas semanas com risco de morte e agravamento de sintomas, e isso me abalou bastante na época. No início da pandemia eu demorei para acreditar na gravidade da situação, mas esse caso próximo me deixou mais ciente dos riscos. Por vezes a máscara é desconfortável, mas considero uma proteção importante, ainda mais nessa época com frio e aumento de doenças, não só pela Covid”, lembrou

O uso de máscaras segue recomendado pelo governo do Estado, com apoio do Comitê Científico, em casos específicos, como dentro de hospitais, serviços de saúde, farmácias e no transporte público. A obrigatoriedade ainda é mantida para Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs).

Também é recomendado o uso para pessoas em contato com grupos vulneráveis para a Covid-19 e em casos de situações de alto risco de contágio, como locais com grande número de pessoas sem esquema vacinal completo, contato com pessoas fora do convívio ou com comportamento de risco, quando estiver com sintomas respiratórios. 


Foto: Nícolas Vinícius da Silva / Jornal Arauto
A utilização do item ainda é obrigatório em alguns espaços, como serviços de saúde
A utilização do item ainda é obrigatório em alguns espaços, como serviços de saúde