Albergue de Santa Cruz passa a atender 24h a partir desta segunda-feira


Por: Portal Arauto
Fonte: Assessoria de Imprensa
Publicado 13/06/2022 07:49
Atualizado 13/06/2022 07:52

Geral   ACOLHIMENTO

Em um momento de descontração no espaço de convivência do Albergue Municipal, o auxiliar de serviços gerais, Itamar Silva de Freitas, de 57 anos, comenta: ”Este aí é nosso faixa”, diz ele, referindo-se a um dos trabalhadores que atua na casa. A expressão usada pelo morador revela o ambiente familiar que se formou no local. Mas esta harmonia não acontece da noite para o dia. Diariamente surgem novos moradores e a equipe de profissionais da assistência social realiza uma dinâmica de acolhimento para que todas sintam-se, realmente, em casa.

No caso do senhor Itamar, ele passou a residir no local em setembro do ano passado. Após a separação com a esposa, mudou-se para uma pensão, mas com a escassez de trabalho durante a pandemia, não teve mais condições de pagar aluguel e procurou por ajuda no Albergue. Desde então, trabalha durante o dia e passa a noite no local. “Aqui fui bem recebido. Tenho cama quentinha, comida, tudo o que preciso, mas logo que eu estiver numa condição melhor, quero morar no meu cantinho”, revelou.

“No Albergue, me senti em casa”

Quem também já precisou dos serviços oferecidos pela casa de passagem é o vigilante Leonardo Pereira da Silva, de 20 anos, que atua também como cuidador de idosos. Aos 19 anos, após exercer o serviço militar em Cachoeira do Sul, mudou-se para Santa Cruz do Sul. Na época desempregado, procurou o Albergue. “Fui bem recebido, me senti em casa lá. A alimentação é boa, os cuidadores também foram muito receptivos, só tenho a agradecer. Mas eu já sabia que é um lugar de passagem, e logo que consegui emprego, me mudei para uma pensão”, conta.

Por se tratar de um lugar de passagem, estimular para que cada morador seja reinserido em sua família ou a seu lugar de origem é um dos trabalhos realizados pela equipe técnica do local. De acordo com a diretora de Desenvolvimento Social, Priscila Froemming, ao procurar por auxílio, os profissionais da assistência social verificam o histórico de cada morador. “É um trabalho de acompanhamento que envolve, inclusive, visita às famílias dos moradores que procuram por ajuda”, explica.

Ao saírem do Albergue, os ex-moradores também são monitorados, através das equipes dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), conforme explica o titular da pasta, Everson de Bello. “A equipe técnica dos Cras auxilia nos preenchimentos das fichas de empregos, e encaminha para as empresas, além de cursos e capacitações que o município constantemente oferece para este público. Nesse sentido, as empresas do município têm sido parceiras do Desenvolvimento Social na oferta de trabalho formais, pois muitos vivem na informalidade”, afirmou.

Motivações

De acordo com os dados da própria instituição, a maioria, cerca de 90 por cento dos moradores, acabam precisando do auxílio do Albergue por problemas com alcoolismo, mas também por outros motivos como drogadição, conflitos familiares, e até mesmo por ocasião de sinistros de incêndios. Para os casos de alcoolismo, que são os mais frequentes, há o encaminhamento para estabilizaçao junto ao Hospitalzinho, acolhimento e encaminhamento à rede de saúde mental especializada, segundo explica o assistente social, Juliano Garcêz. “O morador é levado à reflexão sobre suas escolhas, bem como estimulado a criar novos projetos de vida, como a retomada dos vínculos familiares e inclusão no mercado de trabalho, para que obtenha autonomia financeira e cidadania", explicou.

"Ninguém precisa ficar na rua"

 A prefeita Helena Hermany reforça a necessidade de um amparo mais ostensivo. Por conta disso, a partir desta segunda-feira (13), o atendimento no Albergue Municipal será ampliado. A casa passa a funcionar 24h por dia. Para quem trabalha durante o dia, continua utilizando o espaço para pernoite, além de receber refeições como o jantar e café da manhã. Já para quem não dispõe de trabalho, passa a receber as refeições como café da manhá, almoço, lanche e jantar, no local. Oficinas diversas serão oferecidas para quem permanece no local durante o dia. 

“O município já investe bastante nos equipamentos sociais, com estrutura adequada para acolher, com profissionais qualificados da assistência social, e fornece alimento, roupas e acomodações para dormir. Nosso município dá todas as condições para que ninguém   precise ficar na rua“, declarou.

 ALBERGUE MUNICIPAL

O Albergue Municipal localiza-se na Rua São José, 2831, no Bairro Bom Jesus. Ao acessar o local, o usuário passa por avaliação, recebe roupas de uso pessoal e acomodações para pernoite, além de refeições diárias.  Mais informações sobre o serviço podem ser obtidas pelo telefone (51) 3713-1942.

 Abordagem social

 Abordagem Social é um serviço  disponibilizado 24h por dia. Um veículo com toda a estrutura para o acolhimento, e com profissionais da assistência social, realiza a abordagem nos casos em que as pessoas se encontrem em situação de rua. Na maioria dos casos, é a própria população que informa ao próprio Albergue ou a Guarda Municipal, pelo telefone 153,  sobre casos de andarilhos que precisam de auxílio.


Foto: Luiz Fernando Bertuol/Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Santa Cruz
Casa fica localizada na Rua São José, número 2831, no Bairro Bom Jesus
Casa fica localizada na Rua São José, número 2831, no Bairro Bom Jesus

Foto: Luiz Fernando Bertuol/Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Santa Cruz
Albergue de Santa Cruz passa a atender 24h a partir desta segunda-feira


Foto: Luiz Fernando Bertuol/Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Santa Cruz
Albergue de Santa Cruz passa a atender 24h a partir desta segunda-feira


Albergue de Santa Cruz passa a atender 24h a partir desta segunda-feira