Você sabia? Conheça um pouco da história de Venâncio Aires em 10 curiosidades


Por: Portal Arauto
Publicado 11/05/2022 08:51
Atualizado 11/05/2022 13:22

Região   131 ANOS

Venâncio Aires completa nesta quarta-feira (11), 131 anos de emancipação político-administrativa. No território de imensa reserva de mata nativa, entre elas de erva-mate, passaram grupos indígenas, sesmeiros, casais açorianos, escravos e imigrantes alemães e italianos. As "almas" de 1891 se multiplicaram e somam atualmente 72,3 mil pessoas.

Nesta história de 131 anos, o Portal Arauto elencou 10 curiosidades sobre o município conhecido como Capital do Chimarrão.

 

Quem foi Venâncio Aires?

Venâncio de Oliveira Ayres, nascido em Itapetininga, São Paulo, e radicado no Rio Grande do Sul, foi um advogado abolicionista e precursor das ideias republicanas. O nome foi dado ao município pelos republicanos rio-grandenses como forma de homenagem.

 

Onde o município começou?

A primeira doação de terras se refere à sesmaria de Mariante. O município foi colonizado, inicialmente, com a chegada de lusos açorianos e seus escravos na região do 2º distrito de Venâncio Aires, Vila Mariante. A localidade era um ponto importante de partida e de chegada, com o escoamento de mercadorias e transporte de pessoas através do Porto Gomes, às margens do Rio Taquari. 

 

Por que Venâncio Aires já foi conhecido por Faxinal dos Tamancos?

Antes da emancipação de Venâncio Aires, o território foi conhecido como “Faxinal dos Tamancos” em razão de José Hollbrook, que fabricava tamancos na localidade de Vila Estância Nova em uma época inicial do povoamento. As denominações oficiais do município foram Faxinal dos Fagundes e Freguesia de São Sebastião.

 

Quem foi o Henrique Mylius?

Henrique Mylius foi o primeiro membro da junta governativa do município. Ele foi nomeado no dia da emancipação de Venâncio Aires e seguiu no cargo até 12 de dezembro de 1892. 

 

Por que Capital do Chimarrão?

O território de Venâncio Aires tinha uma grande reserva de erva-mate nativa. O hábito de tomar chimarrão é indígena e foi perpetuado pelos povoadores luso-portugueses, que receberam terras e instalaram moradia. O município já usava por muito tempo o tema de capital da erva-mate. Porém, Erechim já havia adquirido o titulo. Dessa forma, foi utilizado o termo Capital do Chimarrão, sendo oficializado em 2009.

 

Qual o motivo de São Sebastião Mártir ser padroeiro do município?

Brígida Fagundes, neta do primeiro sesmeiro de Venâncio Aires, Francisco Machado da Silveira, doou 10 mil braças quadradas de terras para a edificação de uma capela em homenagem a São Sebastião Mártir, santo que ela era devota. Acredita-se que a doação foi uma forma de pagamento após uma promessa de que os dois filhos de Brígida, que estavam na Guerra dos Farrapos, voltassem vivos.

 

O que fez a obra da igreja ser paralisada por tanto tempo?

A obra da atual Igreja de São Sebastião Mártir ficou paralisada por 17 anos em razão da falta de verba. Conforme a historiadora Angelita da Rosa, o orçamento que o arquiteto Simão Gramlich ficou aquém do que foi gasto. Uma parte do complexo foi edificada de 1929 a 1934. Os trabalhos pararam com o prédio erguido, sem reboco e com metade das torres. Apenas em 1951 que a obra foi retomada.

 

Como começou a Escola do Chimarrão?

O Projeto foi lançado na Semana Farroupilha de 1998 pela Ervateira Rainha dos Pampas, de Linha Travessa. A iniciativa tinha o objetivo de difundir e estimular o hábito do chimarrão. Devido à repercussão do trabalho desenvolvido, em 2004 foi fundada a ONG Instituto Escola do Chimarrão, passando a atuar como Entidade Civil.

 

Qual o prato-típico do município?

Em 2011, a galinhada se tornou prato típico oficial de Venâncio Aires. O alimento, preparado à base de arroz e frango, faz parte da vida dos venâncio-airenses e é tradicionalmente servido em comunidades.

 

Por que o feriado de aniversário do município ocorre em julho?

Em 2013, o 11 de maio deixou de ser feriado em Venâncio Aires. A mudança foi aprovada na Câmara de Vereadores devido a uma reivindicação da Câmara da Indústria, Comércio e Serviços de Venâncio Aires (Caciva), de que o dia geralmente é próximo do Dia das Mães, o que afetaria as vendas da data que é considerada a segunda mais importante para o comércio.

Com o 11 de maio deixando de ter "folga", abriu, no calendário municipal, a possibilidade de mais um feriado. Assim, 25 de Julho, Dia de São Cristóvão e quando são celebrados colonos e motoristas, foi a data escolhida.


Foto: Arquivo Portal Arauto
Município completa 131 nesta quarta-feira
Município completa 131 nesta quarta-feira