Mulher é indiciada por planejar assalto contra o ex-namorado em Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Publicado 05/05/2022 15:49
Atualizado 05/05/2022 15:49

Polícia   CRIMINALIDADE

Logo após ter uma discussão e terminar o relacionamento com uma jovem, um homem de 38 anos não imaginava o que estava por vir. Dias depois da separação, na noite do dia 13 de julho de 2021, ele seria alvo de um assalto marcado pela violência e que teria como mentora intelectual a ex. O fato aconteceu na casa onde ele morava, em Linha Santa Cruz, proximidades da RSC-287, e teve os seus desdobramentos vindo à tona após um intenso trabalho de investigação feito por agentes da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas (Draco).

De acordo com a investigação, o homem morava de aluguel em uma casa nos fundos de um terreno. Na casa da frente morava um casal. O crime teria sido arquitetado com base em uma informação central: após a ex do homem descobrir que o casal proprietário do terreno e dos imóveis estava com uma quantia em dinheiro guardada em um cofre. A jovem então teria usado essa informação para, dias após ter acabado o relacionamento, acionar um conhecido e passar a ele tal informação. Com uma extensa ficha criminal, o homem então se juntou a mais dois comparsas, organizou e partiu com a dupla para a execução do assalto.

Chegando na propriedade, por volta das 20h, estando dois deles armados, o bando anunciou o assalto ao chegar na casa da frente do terreno, onde a proprietária foi rendida e amarrada. Eles pediram a ela informações sobre o homem, seu inquilino, que morava nos fundos. Após, o trio foi até a casa do inquilino e o rendeu.  Ele teve a arma apontada para a sua cabeça e foi ameaçado de ter a língua cortada por um dos criminosos, sendo agredido com chutes e golpes desferidos com objetos. Sem conseguir o suposto dinheiro da casa da frente, que na verdade não existia, os bandidos obrigaram o homem a fazer uma transferência via Pix. O pai do homem, que é acamado, estava em casa no momento do crime.

Após as ameaças e com a transferência feita, os bandidos fugiram, já por volta da meia-noite, levando o carro do homem, modelo Honda City. Também foi levada uma outra quantia em dinheiro, uma televisão de 43 polegadas, um notebook, além de outros eletrônicos e celulares. Da casa da frente também foi roubado um carro, modelo Citroen C4, além de dinheiro, dois notebooks, um televisor de 14 polegadas, amplificadores e um chip de celular.

A investigação

Debruçados sobre o trabalho, os agentes passaram a realizar diversas diligências. Contaram também com ações da Brigada Militar, que recuperou os veículos dias após o crime. Um dos automóveis foi encontrado no Distrito Industrial e outro no interior de Rio Pardo. "Durante as investigações, nós conseguimos chegar ao nome de dois indivíduos que estariam envolvidos diretamente nesse crime, além da jovem. Na época foram realizadas diversas diligências, quebras de sigilo, exames periciais colhidos pelo IGP e conseguimos coletar provas importantes”, destaca o delegado titular da Draco, Marcelo Chiara Teixeira.

O inquérito

O documento final traz em mais de 150 páginas provas robustas contra três indiciados, dois dos autores e também a ex-namorada da vítima por ter tido participação no assalto. “A conclusão foi por roubo majorado, pelo emprego de arma de fogo, e crimes de extorsão, por obrigar a pessoa a fazer o pix. Então chegou-se ao indiciamento de uma mulher e dois homens, sendo que um desses homens na época do crime já era foragido. Estava foragido desde o dia 2 de julho, quando rompeu a tornozeleira eletrônica. Ele foi preso alguns dias depois em flagrante por roubo a estabelecimento comercial no interior de Teutônia no dia 26 de julho, sendo que no dia 12 houve o assalto. Esse indivíduo tem 27 anos e já tem diversos antecedentes por tráfico de drogas, homicídio qualificado e porte de arma, e antecedentes por roubo, tanto que foi preso em flagrante por roubo em Teutônia”, pontua Chiara

Ao fim do inquérito, a Polícia representou pela prisão preventiva do indivíduo, que já cumpre pena.  O outro homem indiciado tem 21 anos e antecedentes policiais por furto. Durante as investigações do crime em Linha Santa Cruz, a 1ª Delegacia de Polícia identificou a participação dele em outro roubo que aconteceu na cidade na época.

Já a mulher tem 19 anos. Ela negou a participação no roubo e não tem antecedentes, mas também foi indiciada. “Ela auxiliou nos crimes com informações privilegiadas que foram repassadas aos demais autores. Havia uma informação privilegiada de que havia dinheiro no local. Essa jovem em tese tinha conhecimento disso", afirmou Chiara.

“Um crime muito violento e que precisava da nossa resposta”

Além do dinheiro roubado, chamou atenção da polícia a violência empregada pelos bandidos. O homem de 38 anos foi violentamente agredido, além de sofrer tortura psicológica. "Foi um um crime muito violento. Uma das vítimas foi duramente agredida, sofrendo ainda tortura. Esse tipo de crime, como roubos a residência são crimes graves, que trazem insegurança. A Polícia Civil, fez um trabalho qualificado de investigação, contando com diversos tipos de provas para tentar, no Poder Judiciário, responsabilizar  quem cometeu o crime. É importante essa atuação no sentido de coletar as provas e levar responsabilidade criminal". Ainda destacou: "Conseguimos remeter ao Poder Judiciário o inquérito concluído e também com a conclusão pela prisão preventiva que foi representada e o Judiciário entendeu pela decretação de um desses indivíduos. Com isso mantemos o indivíduo respondendo pelos crimes dele, evitando que ele cause outro tipo de crime". Finalizou.


Foto: Guilherme Bica/Portal Arauto
Agentes da Draco trabalharam na investigação do caso
Agentes da Draco trabalharam na investigação do caso