"Com 26 anos de profissão, o nascimento de uma criança sempre me sensibiliza", relata obstetra


Por: Portal Arauto
Publicado 08/05/2022 10:00
Atualizado 08/05/2022 10:59

Geral   DIA DAS MÃES

Apesar dos cerca de dez partos realizados mensalmente e dos 26 anos de profissão, a inocência e doçura de uma criança no momento no nascimento sempre deixam quentinho o coração da obstetra e ginecologista de Santa Cruz do Sul, Fabiana Frey Juruena. O acompanhamento de cada gestação é sempre especial e a alegria é também compartilhada por ela que, da mesma forma, já é mãe - do Arthur, de 10 anos - e professora universitária. Este domingo, Dia das Mães, é dedicado para as todas as mães, seja as de primeira viagem ou não, assim como, as que não são mães de sangue mas que, na mesma intensidade, amam incondicionalmente seus filhos do coração. 

O acompanhamento da doutora Fabiana ocorre antes mesmo da gravidez, já que muitas mulheres a procuram para verificar se há alguma patalogia ou algum risco antes de engravidar. É ali que já vai se estabelecendo um vínculo com a futura mamãe que passa a compartilhar todas as dúvidas, alegrias, angústias e inseguranças. A profissional destaca que o amor vai se construindo com o tempo e tende a ser ainda maior a partir do momento em que o bebê está nos braços.

Para ela, também é importante já ir preparando a mulher de maneira que ela se sinta mais segura e confiante de que será uma ótima mãe. "As mães de primeira viagem costumam ter mais insegurança e sempre se questionam se vão conseguir cuidar bem, se vão conseguir ser exemplo de mães. Mas cada mãe lida com o seu filho de uma forma e constrói o amor da sua maneira", comenta. Através de todo esse vínculo estabelecido com as pacientes antes da gravidez e durante, que se torna possível levar mais tranquilidade na hora do parto.

TROCA DE EXPERIÊNCIA

Como Fabiana já vivenciou esse momento da gestação, ela conta que é feita uma troca de experiência e se estabelece, também, uma relação de amizade: "O gratificante da minha profissão é ver as mamães com as crianças nos braços depois e elas chegarem até mim para mostrarem as crianças. Inclusive toda a vez que meu filho vê uma criança, ele pergunta: mamãe, tu tirou essa da barriga?". 

A profissional destaca que todo o processo da gravidez é um momento especial, mas tudo se torna ainda mais mágico na hora do parto. Embora a mulher já tenha se tornado mãe antes mesmo do nascimento, Fabiana observa que quando a criança nasce, o sentimento de "ser mãe" se concretiza muito mais fortemente. "Mesmo com 26 anos de profissão, o nascimento de uma criança sempre me sensibiliza".

Com a experiência de ser mãe e o amor no coração por um filho, a doutora Fabiana não nega o quanto se emociona no dia a dia com a profissão. O pequeno Arthur, embora ainda muito novo para escolher a carreira que deseja seguir, não esconde a admiração pela profissão da mãe. É em meio aos desafios da vida e às batalhas ao longo da caminhada, que Fabiana encontra nas crianças, e principalmente no filho, motivação para viver. "Um filho é tudo de bom. É a alegria da minha vida. É ele que me faz projetar o futuro, pensar nas férias e ter vontade de viver", frisa com emoção. Afinal, sendo mãe de sangue ou não, o que importa, conforme ela, é o amor construído.


Foto: Kethlin Meurer / Portal Arauto
Obstetra Fabiana Frey Juruena já realizou tantos partos e acompanha diversas mamães
Obstetra Fabiana Frey Juruena já realizou tantos partos e acompanha diversas mamães

Foto: Kethlin Meurer / Portal Arauto
Fabiana: "Um filho é tudo de bom. É a alegria da minha vida. É ele que me faz projetar o futuro"
Fabiana: "Um filho é tudo de bom. É a alegria da minha vida. É ele que me faz projetar o futuro"