Alta dos combustíveis faz crescer venda de motocicletas em Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Publicado 23/01/2022 09:00
Atualizado 23/01/2022 09:02

Geral   ECONOMIA

Considerado um meio de locomoção prático e econômico, a procura por motocicletas em Santa Cruz do Sul tem registrado aumento desde o ano passado. Um dos principais motivos que puxaram a procura por este veículo foi à alta dos combustíveis registrada desde o ano passado, onde os reajustes foram recorrentes e se estabilizaram em um patamar elevado, fazendo com que algumas pessoas mudassem sua forma de ir ao trabalho ou local de estudo, para tentar poupar um dinheiro e ter um extra no fim do mês.

Na Multy Motos, o gerente de vendas, Peter Wagner, conta que as vendas em 2021, mesmo com a pandemia, superaram as expectativas. “Com o aumento do combustível, isso ajudou a aquecer as vendas e a procura de motos”.  Os modelos mais procurados pelos clientes são motos seminovas. Segundo ele, as vendas registraram um aumento de 15% em relação a 2020. Para 2022, Wagner acredita que esse patamar de vendas será mantido.

O cenário é parecido na revenda Só Motos e Automóveis. Conforme o vendedor Adilson Bohnen, o ano que se passou registrou um grande aumento na procura por motocicletas. Ele credita isso aos fatores do desemprego e o crédito disponível, com taxas de financiamento facilitadas. Além disso, ele destaca que a pandemia e o preço do combustível também impulsionaram as vendas. “Acredito que a maioria das famílias hoje, tenha uma motocicleta para o uso diário, seja para ir ao trabalho ou então para outros afazeres”.

Para comercialização de motocicletas neste ano, Bohnen disse que a expectativa é a melhor possível, tendo em vista o aumento excessivo do combustível principalmente dos carros. “Esses aumentos encarecem as despesas com um veículo se comparado a uma moto”. Ele lembra que faltam motos modelo zero quilômetros a pronta entrega nas concessionárias, motivo que tem feito os consumidores a procurarem pelas seminovas. “Na nossa loja, dependendo do modelo, o preço de uma seminova pode chegar a ser mais alto do que a própria zero”, disse.

Cenário no país

Em 2022, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) estima que a produção de motocicletas deve atingir 1,29 milhão de unidades, volume 7,9% maior do que a produção de 2021 no Polo Industrial de Manaus (1.195.149 unidades). As vendas devem chegar a 1,23 milhão de motocicletas, com alta de 6,4% em relação a 2021, quando o total negociado ficou em 1.156.074 unidades.

Para a Associação, entre os fatores determinantes para a continuidade do crescimento estão o avanço dos serviços de entrega de produtos e o maior uso da motocicleta nos deslocamentos urbanos, em razão do aumento dos preços dos combustíveis e da disponibilidade de crédito.

 


Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas
Motos são considerados um meio de locomoção prático e econômico
Motos são considerados um meio de locomoção prático e econômico