Incêndios em vegetação são maioria das ocorrências atendidas pelos bombeiros na região


Por: Portal Arauto
Publicado 15/01/2022 06:30

Geral   SINISTROS

O tempo seco, calor e baixa precipitação têm feito Santa Cruz e região registrar muitos incêndios em vegetação. As ocorrências, muitas vezes em grandes proporções, chamam atenção e têm mobilizado com frequência guarnições do Corpo de Bombeiros.

Apenas nesta quinta-feira à noite, por exemplo, os bombeiros de Santa Cruz trabalharam mais de quatro horas no combate de um incêndio que aconteceu em uma área próxima à sede da Phillip Morris, na BR-471. Os bombeiros do Distrito Industrial e também do centro, além de uma guarnição de Vera Cruz atenderam a ocorrência. Relembre clicando aqui.

Apenas neste mês de janeiro, até esta sexta-feira (14), Vera Cruz teve sete ocorrências de incêndio em vegetação; Santa Cruz 24; Cachoeira do Sul 19; Rio Pardo 17; Encruzilhada do Sul 16 e Venâncio Aires 16. O mês ainda não terminou e em alguns municípios o número desse tipo de ocorrência é maior do que foi registrado no ano passado ao longo de todo o mês. Em Santa Cruz, em janeiro do ano passado, foram 15 ocorrências; em Vera Cruz quatro; Cachoeira do Sul 18; Rio Pardo 11; Encruzilhada do Sul 17 e Venâncio Aires oito. 

Em todo o ano passado, de janeiro a dezembro, foram 99 incêndios de vegetação em Santa Cruz; 26 em Vera Cruz; 73 em Cachoeira do Sul; 91 em Rio Pardo; 82 em Encruzilhada do Sul e 58 em Venâncio Aires. 

Grande parte dos incêndios em vegetação foram registrados no mês de dezembro. Em Santa Cruz foram 28 ocorrências apenas em dezembro do ano passado; em Vera Cruz 11; Cachoeira do Sul 19; Rio Pardo 14; Encruzilhada do Sul 29 e 29 também em Venâncio Aires.

MAIOR INCIDÊNCIA

De acordo com o coordenador da Sessão de Operações de Defesa Civil do 6º Batalhão de Bombeiros Militar, com sede em Santa Cruz, major Mateus Scremim, a incidência de fogo em vegetação, embora ocorra no durante o ano todo, é mais expressiva nesta época, em que a chegada do verão, com altas temperaturas, somadas à baixa precipitação, tornam o cenário propício para o aumento do número ocorrências deste tipo.

Ainda de acordo com o major, toda a ocorrência em que o Corpo de Bombeiros Militar é acionado gera um movimento de efetivo, viaturas e equipamentos, de modo atendê-la com a maior brevidade. "O objetivo é eliminar os focos de incêndio com celeridade e retornar à base para estar à disposição para novos acionamentos. A incidência de ocorrências de fogo em vegetação, no momento atual, tem sido responsável por grande parte dos acionamentos do 6º Batalhão de Bombeiros Militar", comenta. 

Dicas do Corpo de Bombeiros para evitar incêndios em vegetação:

- Não lançar bitucas de cigarro acesas ao solo , pois pode gerar a ignição em uma vegetação seca e dar início a um grande incêndio;
- Não lançar ao solo garrafas, cacos de vidro, espelhos, etc, de modo a evitar possível início de incêndio pela ação dos raios solares sobre estes objetos;
- Não atear fogo em lixo ou vegetação, pois há a real possibilidade de que os ventos fortes, característicos desta época do ano, somados ao clima seco, calor intenso e escassez de chuvas, propiciem a propagação rápida e descontrolada do fogo, podendo evoluir para um incêndio de grandes proporções e, consequentemente, risco à segurança de eventuais moradores próximos à área de queima, além do crime ambiental correspondente;
- Cuidado ao acender fogueiras em acampamentos, procurar local com distância segura de vegetação seca como arbustos, e ao final da utilização, proceder a extinção de qualquer foco de fogo que ainda exista;
- Manter limpos terrenos baldios (roçados);
- Não utilizar da queima de vegetação como meio para limpar terrenos ou áreas, pois pode fugir do controle;
- Pequenos focos podem se tornar grandes incêndios;
- Em caso de emergência, ligue 193.


Foto: Rafael Cunha/Grupo Arauto
Santa Cruz e região têm registrado com frequência esse tipo de ocorrência, principalmente desde dezembro
Santa Cruz e região têm registrado com frequência esse tipo de ocorrência, principalmente desde dezembro