Nas férias, hora do material escolar; confira os preços médios dos produtos


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 12/01/2022 06:54
Atualizado 12/01/2022 07:55

Geral   PROCURA

Com as celebrações do Natal e Ano Novo tendo ficado para trás, o comércio vivencia um período sem datas comercialmente atrativas. No entanto, para as papelarias e lojas que oferecem  materiais de escritório, o período de férias é bastante agitado em razão dos pais e estudantes já estarem se organizando para o começo do ano letivo nas escolas, cursos e faculdades.  

Dessa forma, com o aumento na procura por materiais escolares, o Nosso Jornal conversou com responsáveis  por três papelarias da região para saber o preço médio dos itens escolares mais procurados nessa época do ano. Entre os itens analisados, estão mochila, estojo, lápis, caneta, caderno, borracha, corretivo, apontador, régua e cola. Para garantir uma análise justa, foram utilizados como parâmetro os itens de valor médio de cada loja, não sendo o mais caro e nem o mais barato da prateleira. 

Como já era esperado, a mochila ficou como o item escolar mais caro. Após a coleta dos preços de uma mochila nas três lojas, a média ficou em R$ 59,96. Na segunda posição, ficou o estojo, que em média custa R$ 23,78. Os dois produtos podem ser considerados os mais procurados e visados pelas crianças, tendo em vista que muitas vezes são personalizados com temas infantis que chamam a atenção da criançada na hora das compras. Fechando a lista dos três itens mais caros do kit básico escolar, ficou o caderno, que na média comparativa teve o seu custo apurado em R$ 9,93. Ainda, o corretivo custando R$ 3,13  e a cola no valor de R$ 2,67 foram itens que se destacaram na comparação. Para conferir a lista completa de materiais analisados e o seu respectivo preço médio, veja no box ao lado.

No comércio

Conforme a proprietária da Cia do Papel, Rosana Helena Blank, desde a volta às aulas presenciais na metade do ano passado aumentou a procura por itens escolares. Assim como em outros setores, os materiais escolares também tiveram um aumento no preço, mas nada que fizesse com que o movimento diminuísse. “Tivemos uma boa venda no mês de dezembro porque muitas pessoas acabaram optando em presentear com material escolar. Agora, na primeira semana de janeiro já tivemos uma boa procura. Muitas pessoas preferem passar na loja para verificar as opções, e se inteirar dos valores para poder se organizar financeiramente e depois efetuar a compra”, destacou.

De acordo com a responsável pelo estabelecimento, a expectativa é de que a  procura se intensifique ao longo do mês de janeiro. “Estamos bastante otimistas com essa volta às aulas. As crianças ficam eufóricas com o volta às aulas. Os pequenos são os primeiros a comprar seus materiais. Eles chegam na loja empolgados, felizes, já falando sobre a compra que vão fazer. Muitos falam que já estão contando os dias para poder voltar para a escola, mesmo tendo entrado de férias há poucos dias”, frisou.

Santa Cruz

Segundo a vendedora da Gepel Papelaria, Marci Pacheco, a expectativa é de que  o movimento melhore com o transcorrer das semanas. “Foram dois anos interrompidos com a pandemia. O movimento mais aguardado é agora no primeiro mês do ano, muitos pais já adiantaram a compra de material escolar antes de viajar de férias, evitando assim fila e loja cheia. Em dezembro, no que se refere as vendas, tivemos um aumento de 10% em relação aos meses anteriores”, salientou.

Material escolar 2022

Itens                Preço médio (R$)

Mochila                59,96

Estojo                    23,78

Lápis                      0,80

Caneta                   1,25

Caderno                 9,93

Borracha                0,92

Corretivo                3,13

Apontador              1,57

Régua                       1,35

Cola                           2,67


Foto: Gabriel Fuelber/Jornal Arauto
Buscando garantir mais opções, consumidores têm adiantado a compra dos materiais
Buscando garantir mais opções, consumidores têm adiantado a compra dos materiais