Novo ensino médio começa a ser implementado neste ano; veja principais mudanças


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 05/01/2022 06:55
Atualizado 05/01/2022 06:56

Geral   ENSINO MÉDIO

O ano de 2022 nos reserva não só novas perspectivas como também mudanças. Uma delas, que já estava prevista desde 2017, é o novo ensino médio. As novas regras começam a ser implementadas neste novo ano em todo o país, nas escolas públicas e privadas. As mudanças  serão graduais e, com objetivo de não alterar o currículo já existente, começam pelo 1º ano do Ensino Médio.

A proposta, no entanto, divide opiniões. Para o coordenador da 6ª Coordenadoria Regional de Educação (6ª CRE), Luiz Ricardo Pinho de Moura, o ano promete ser desafiador. “Teremos duas frentes em formação neste ano. Os professores já estão sendo preparados, desde o ano passado, pelo Programa Aprende Mais, neste caso mais voltado aos docentes de Português e Matemática. A partir deste ano, esta proposta será ampliada também aos professores dos demais componentes curriculares. Eles terão a missão de trabalhar depois com os alunos”, explica.

Ao menos três componentes curriculares serão adicionados à carga horária do ensino médio. De acordo com Moura, o foco da formação dos professores está nestas novas disciplinas. “São três novos componentes que serão integrados à matriz curricular. Os professores já iniciaram este trabalho de estudo sobre estes temas e estão sendo preparados para ministrá-los. Este primeiro ano terá todas as matérias do núcleo comum – português, matemática, história, geografia e biologia –, acrescidas destes três novos componentes curriculares. O objetivo, acima de tudo, é que os alunos busquem os itinerários que vão focar dentro do Ensino Médio, ou seja, dar a clareza aos alunos sobre o que seguir depois que entrarem no mercado de trabalho. Mais do que isso, também é dar a opção de escolha a estes jovens e mostrar as possibilidades que eles têm de seguir”, ressalta.

O que muda?

O Novo Ensino Médio é um modelo de aprendizagem por áreas de conhecimento. Apesar de algumas escolas já terem, ao longo dos últimos anos, realizado as adaptações, o novo Ensino Médio entra em vigor gradativamente: em 2022 para o 1° ano, e até 2024 também para  2° e 3º anos.

Além disso, serão acrescidas ao currículo três novos componentes curriculares: cultura digital, protagonismo juvenil e mundo do trabalho. A cultura digital, como o próprio nome diz, envolve aprendizagens voltadas às tecnologias. O protagonismo juvenil tem por objetivo a influência para o surgimento de novos líderes. Já o mundo do trabalho visa preparar os estudantes para o mercado de trabalho.

Escola Modelo

A Escola Estadual de Ensino Médio Guilherme Fischer, de Vale do Sol, foi uma das escolhidas para ser cobaia da nova proposta. A escola-piloto já desenvolve as atividades no novo formato. Conforme o vice-diretor do educandário, Ademir José Machado, a proposta não é mais uma novidade. “Já estamos trabalhando com esta nova proposta no nosso cotidiano. O que será novidade para algumas outras escolas, para nós já é realidade. O que fica para nós é que as mudanças estão chegando, tanto do Governo do Estado, como do Governo Federal, mas muitas vezes estas alterações não são discutidas com a comunidade escolar”, critica.

Adaptações

Para quem vive a realidade dentro da escola, o momento é de adaptação. “Entre o que o governo quer e a realidade existe um abismo. A reestruturação foi pensada por pessoas que não conhecem a realidade  de uma escola. Estamos ainda aguardando algumas orientações em relação às mudanças, que não ficaram bem claras para nós. Um exemplo disso são algumas horas a distância para os estudantes do noturno. Como será o procedimento para os alunos que não têm acesso à internet de qualidade, por exemplo? Ainda estamos buscando entender algumas coisas. Estas incertezas são ruins para os professores, para a direção e, principalmente, para os alunos no aprendizado”, comenta o diretor da maior escola de Vera Cruz, Carlos Jardel Henn.

Na Escola Estadual de Ensino Médio Vera Cruz, o Polivalente, serão nove turmas de 1º ano, sete no diurno e duas no noturno. O diretor vê com preocupação as mudanças, que, segundo ele, não passaram por opiniões de quem vive a realidade. “As disciplinas de humanas tiveram a carga horária diminuída, ou seja, algumas disciplinas foram retiradas da grade do 3º ano, adaptação que vai acontecer até 2024. Nos vestibulares e no próprio Enem estas matérias seguem presentes. Os alunos terão que correr atrás do conteúdo para relembrar os conteúdos dos anos anteriores. Por experiência, imagino que isso não deva ocorrer. Sendo assim, quem tiver condições de pagar um cursinho, vai conseguir as vagas”, destaca.

O  ano letivo nas escolas estaduais do Rio Grande do Sul está previsto para começar no dia 21 de fevereiro.


Foto: Rafael Cunha/Grupo Arauto
Ano terá inclusão de três novos componentes curriculares para os alunos e formação para professores
Ano terá inclusão de três novos componentes curriculares para os alunos e formação para professores