Prefeitura garante a manutenção de câmeras de vigilância em Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Fonte: Assessoria de Imprensa
Publicado 30/12/2021 09:56
Atualizado 30/12/2021 09:59

Geral   SANTA CRUZ

A Prefeitura de Santa Cruz do Sul assinou na tarde desta quarta-feira (29) um convênio com o Grupo de Apoio à Brigada Militar (GABM) para a manutenção de 40 câmeras de vigilância em áreas públicas da cidade.

Os dispositivos integram o programa Vigilância Colaborativa, lançado em fevereiro de 2020. A iniciativa é um sistema online com transmissão e armazenamento de imagens, operacionalizado por empresas de segurança privada, conectado ao Centro Integrado da Brigada Militar. Através dele é possível fazer a identificação de pessoas e veículos.

Conforme a prefeita Helena, a segurança é um fator indispensável para a qualidade de vida dos cidadãos e para a prosperidade do município. “Nosso compromisso de governo é cuidar das pessoas e isso inclui também garantir a elas um lugar seguro para viver. Sem segurança, o cidadão não pode usufruir dos espaços públicos e os empreendedores não se sentem confiantes para investir”, avaliou. De acordo com a prefeita, a administração está sempre disponível para estabelecer parcerias que garantam a ordem e a tranquilidade no município.

O programa foi lançado em fevereiro de 2020, com investimento inicial de R$ 54 mil pelo Ministério Público do Estado. Os recursos, provenientes de ação civil pública, permitiram a compra de câmeras que foram instaladas em escolas, postos de saúde e outros pontos de grande circulação. O valor garantiu o funcionamento do serviço até novembro passado. Outras 101 câmeras estão instaladas em locais particulares e também compartilham suas imagens com o Centro Integrado da Brigada Militar. Com os recursos da prefeitura, está assegurada a manutenção das câmeras instaladas em áreas públicas.
 
Para o secretário de Segurança e Mobilidade Urbana do município, Everton Oltramari, o programa Vigilância Colaborativa é indispensável para proporcionar mais segurança aos cidadãos. “Hoje, a tecnologia é um recurso fundamental para a segurança pública, o combate à criminalidade e a prevenção à violência”, avaliou. Conforme Oltramari, o contingente das forças policiais é inferior às necessidades da população e por isso é importante valer-se de recursos que potencializem a atuação delas. “Nos países mais desenvolvidos do mundo, o videomonitoramento é um instrumento muito eficaz no enfrentamento ao crime”, afirmou. Como exemplos, ele cita a China (uma câmera a cada 10 habitantes), Inglaterra (Londres possui uma câmera para cada 15,4 habitantes) e Estados Unidos (a cidade de Atlanta tem uma câmera para cada 15,6 pessoas). Para o secretário, o município precisa investir muito nesse recurso para fortalecer mais o videomonitoramento da cidade.

O presidente do GABM, Roberto Gross, agradeceu o apoio da prefeitura à iniciativa. “O programa é muito importante, pois ele permite o acesso às imagens durante um período de até sete dias”, explicou. Com o convênio, a prefeitura repassará mensalmente à entidade R$ 2.396,00 para a continuidade do serviço.

Grande incentivador do projeto, o promotor de justiça Érico Fernando Barin, da 2ª Promotoria de Justiça Especializada de Santa Cruz do Sul, enalteceu a atuação do GABM, da Prefeitura e da Câmara de Vereadores no suporte ao programa Vigilância Colaborativa. Para Barin, a iniciativa é um valioso instrumento de proteção do cidadão pela prevenção e repressão de atividades criminosas. “Espero que, com a contribuição de órgãos públicos e dos cidadãos, o programa siga avançando, somando-se a outras ações, como as do Pacto Santa Cruz do Sul pela Paz, na meta de que nossa cidade torne-se em breve uma das mais seguras do Brasil”, declarou.

O programa Vigilância Colaborativa foi implementado a partir da parceria entre o Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM), Ministério Público e Brigada Militar, com o apoio de entidades como a Assemp, ACI, CDL, entre outras.
 


Foto: Guilherme Neuhaus / Secom
Câmeras integram o programa Vigilância Colaborativa, lançado em fevereiro de 2020
Câmeras integram o programa Vigilância Colaborativa, lançado em fevereiro de 2020