Santa-cruzense destina nove hectares de terra para plantações de frutas


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 21/11/2021 08:00

Geral   FRUTÍFERAS

Quem visita hoje a propriedade do santa-cruzense Perci Darcisio Frantz, de 48 anos, em São Martinho, se impressiona com a organização e quantidade de frutas espalhadas pelos cerca de 9 hectares destinados para as frutíferas. No entanto, para que a propriedade chegasse até o estágio atual, foi necessário realizar muito trabalho, pesquisa, tentativas e frustrações, que no fim fizeram com que o seu sonho se tornasse realidade.

Conforme o agricultor, são produzidos atualmente quatro variedades de frutas na propriedade, sendo elas banana, laranja, bergamota e manga. A última, por sinal, é a que mais tem gerado expectativa em Frantz, que decidiu apostar na cultura ao arrendar uma área com cerca de 2.000 árvores, a cerca de um quilômetro de sua casa. Ainda, o agricultor conta com 1.500 laranjeiras e bergamoteiras, além de 6.200 pés de banana, que ao longo do ano vão gerando uma importante fonte de renda.

Futuro promissor 

Da mesma forma que vislumbrava o investimento em frutíferas há cerca de 12 anos, Frantz vê esse tipo de cultura ter um grande potencial, principalmente, em Santa Cruz do Sul. “No passado, vi nas frutas um potencial muito grande, por não ser algo muito explorado e ter um mercado interessante. Aqui em Santa Cruz existem microclimas muito específicos, que fazem com que algumas frutas se desenvolvam muito bem, mesmo sendo de outras regiões. A partir do momento que as pessoas virem esse potencial das frutas, o município pode se tornar referência nesse ramo”, destaca. Atualmente, a maior parte do que é colhido na propriedade é comercializado em feiras, nas quais a procura pelas frutas sempre é considerada muito forte.

Em relação à produção, Frantz revela que a banana gera cachos durante o ano todo, diferente da laranja, bergamota e manga, que contam com fases específicas para a produção. Na propriedade, todo o manejo é realizado sem o uso de agrotóxicos, sendo totalmente orgânico, um diferencial que além de garantir a economia de insumos, faz com que o alimento seja saudável. 

Orientação

Para auxiliar na análise da produção, Frantz conta com o apoio do técnico agrícola Wandoir Sehn, que auxilia na parte técnica da produção. Conforme Sehn, a propriedade de Perci está localizada numa região com microclima ideal para as culturas que lá estão sendo desenvolvidas. “Mesmo com a ocorrência de geadas no inverno, o microclima lá presente não afeta a produção, garantindo o seu desenvolvimento. É importante sempre avaliar e conhecer o lugar aonde queremos instalar um pomar, suas características de solo e clima, além, é claro, do seu potencial de comercialização antes de instalar qualquer cultura em escala comercial”, salienta.

Ainda, o técnico agrícola ressalta que o manejo agroecológico de culturas é um grande diferencial. “Sem a utilização de adubos sintéticos e agrotóxicos, a gente acaba priorizando a saúde do solo, da planta, das pessoas que produzem e do consumidor", destaca.

Emater

Conforme o extensionista rural da Emater de Santa Cruz do Sul, Marcelo Cassol,  atualmente as principais culturas frutíferas em produção são as de citricultura (laranja e bergamota), além da noz pecan, banana, morango. Segundo Cassol, em razão do grande número de produtores em diversas culturas, é difícil precisar uma estimativa da quantidade de produção no município, o que mostra uma certa evolução no olhar dos agricultores sobre essa cultura. “O investimento em frutíferas é muito válido, especialmente por ter uma entrada constante de renda na propriedade, além de distribuir melhor a mão de obra disponível, evitando a concentração das atividades em um único período”, destaca o extensionista.


Foto: Gabriel Fuelber/Jornal Arauto
Dentre todas as frutíferas, banana é atualmente o carro-chefe da propriedade de Perci
Dentre todas as frutíferas, banana é atualmente o carro-chefe da propriedade de Perci

Foto: Gabriel Fuelber/Jornal Arauto
Produção de manga é o novo xodó de agricultor
Produção de manga é o novo xodó de agricultor