Criminosos se passam por atendentes de agências bancárias para aplicar golpes em Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Publicado 16/11/2021 06:43
Atualizado 16/11/2021 06:45

Polícia   CUIDADO!

A Polícia Civil de Santa Cruz do Sul investiga a execução de golpes realizados dentro de agências bancárias da cidade. Quatro casos já foram registrados no município desde o fim de outubro. Em um deles, a vítima teve prejuízo de R$ 30 mil. Segundo a delegada titular da 1ª DP, Ana Luísa Aita Pippi, os estelionatários se passam por atendentes para realizar as abordagens no interior dos estabelecimentos, momento em que trocam cartões com as vítimas para realizar futuras transações com os recursos roubados. 

Tudo começa com um telefonema ou até mesmo uma abordagem fora da agência, para que o cliente resolva um problema no cartão. Quando a pessoa entra no banco para realizar a atualização, um estelionatário, com um falso crachá e uma fala que passa credibilidade, aborda a vítima e executa o crime, trocando o cartão da vítima. "Após o suposto atendimento, as vítimas vão embora e, de posse do cartão com senha, os golpistas passam a fazer inúmeras operações bancárias", explica.

Como as vítimas, na maioria das vezes, acabam percebendo somente na próxima vez que forem utilizar o cartão, os criminosos conseguem fazer saques, transações bancárias e transferências de valores. "Quando vão fazer o uso do cartão, percebem que é o de uma terceira pessoa, que também foi vítima em outra circunstância e que não é da cidade. Esses cartões vão sendo trocados. Possivelmente os cartões das nossas vítimas serão trocados em outra cidade e assim sucessivamente. Quando se dão conta, as vítimas procuram a agência bancária para bloquear, mas aí o estrago já está feito", lamenta.

A 1ª DP trabalha para identificar os golpistas com a ajuda das gravações de câmeras de monitoramento cedidas pelas agências bancárias. "Estamos apurando. Possivelmente são pessoas de fora de Santa Cruz e até mesmo de fora do Estado. Estou aguardando as imagens da outra agência para confrontar e afirmar se são as mesmas pessoas. O crime chama a atenção da polícia pela ousadia dos bandidos em agir em pleno horário de funcionamento dos bancos. Aparentam ter um crachá verdadeiro, se identificam como funcionários e tudo leva a crer que eles realmente são. O atendimento é perfeito, passam credibilidade e confiança, o que faz as vítimas realmente acreditar que é real", salienta.

Por isso, o pedido é para a comunidade ficar alerta e jamais passar a senha do cartão para desconhecidos. "Não dê conversa para pessoas estranhas. Não aceite ajuda de atendente que pede a senha. Cuide para ninguém visualizar ao digitar no caixa eletrônico. Nunca entregue cartão! Nem para o atendente! É preciso desconfiar!", orienta. 


Foto: Guilherme Bica/Portal Arauto
Delegada Ana Luisa Aita Pippi analisa as imagens
Delegada Ana Luisa Aita Pippi analisa as imagens