Preso suspeito de ameaças contra colégio de Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Publicado 01/10/2021 09:43
Atualizado 01/10/2021 17:17

Polícia   RESPOSTA RÁPIDA

A Polícia Civil de Santa Cruz do Sul prendeu na manhã desta sexta-feira (1º) um homem de 41 anos suspeito de ameaçar alunos de um colégio do município. A prisão preventiva foi realizada na casa do indivíduo no Bairro Santo Inácio pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) com apoio da 2ª DP. Ele, que alega que escreveu as postagens por querer de volta a guarda do filho, foi encaminhado ao Presídio Regional e responderá pelo crime de violência psicológica e descumprimento de medida protetiva contra a ex-companheira.

Conforme a delegada Lisandra de Castro de Carvalho, responsável pelas investigações, as ameaças contra a ex-companheira, a ex-sogra e a escola onde o filho estuda foram divulgadas nesta quinta-feira pelas redes sociais. "O pedido de prisão preventiva decorre do descumprimento das medidas protetivas que havia a favor da vítima, ex-companheira do suspeito, desde agosto. Esse indivíduo proferiu ameaças e ofensas verbais e, principalmente, fez várias postagens alertando a escola onde o filho em comum com a vítima estuda de que uma tragédia estava anunciada", explicou a delegada. 

Por conta dessa situação, o homem foi intimado a prestar depoimento na manhã desta quinta-feira, quando foi advertido que se voltasse a descumprir as medidas ou a fazer alguma publicação em tom ameaçador, novas medidas seriam tomadas, inclusive a representação pela prisão, que foi o que aconteceu. Conforme Lisandra, depois de sair da delegacia, ele fez novas postagens. "Ele deu a entender que não só a pessoa que ele tem essas desavenças - em razão das visitas do filho que ele está proibido judicialmente de receber - estaria em risco, mas que outras crianças estariam também. Isso causou um grave e preocupante clamor público", ressaltou.

De acordo com Lisandra, a ação teve o objetivo de proteger as vítimas e a comunidade tanto na integridade física quanto psicológica. "Esse terror que ele estava causando necessitava de uma medida mais drástica e, por isso, representamos pela prisão", disse. Conforme a delegada, o indivíduo negou que teria proferido ameaças e depois disse que poderia ter proferido, mas que ele não tinha intenção de concretizá-las. "Na dúvida se ele vai concretizar ou não, a nossa preocupação foi com a integridade física de todos", pontuou. 

Trabalho preventivo

Durante esta quinta-feira, após as ameaças divulgadas pelas redes sociais, a Polícia Civil, a Brigada Militar e a segurança da escola reforçaram a proteção da instituição. Segundo a delegada Lisandra, a região do colégio e a residência do homem foram monitoradas enquanto a DPCA solicitava a prisão preventiva. "Entramos em contato com todos os guardas da escola. Estávamos no local de forma ostensiva, com giroflex ligado, mas de forma discreta monitorando entradas e em constante contato com a escola. Nós tivemos todo esse cuidado preventivo", falou. 


Foto: Guilherme Bica/Portal Arauto
Investigação da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente resultou na prisão do homem nesta sexta-feira
Investigação da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente resultou na prisão do homem nesta sexta-feira