Laranjas enchem pomares no Vale


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 29/09/2021 06:57
Atualizado 29/09/2021 06:57

Geral   COM AJUDA DO CLIMA

É na região serrana de Vale do Sol, em Fontes do Vale, que o casal de agricultores Romeu Behling, de 72 anos, e Lônica Behling, de 74 anos, comemora os pomares alaranjados e carregados em meio hectare destinado para a produção de laranjas. Como a procura pelas frutas não tem acompanhado o aumento da produção, nesta safra cheia propiciada pelo clima, foi necessário pensar em alternativas para atrair o consumidor e não ocorrer o desperdício da produção. 

Conforme Romeu, a ideia de possibilitar que os consumidores pudessem colher as frutas em sua propriedade surgiu não apenas devido ao excedente de produção, mas também com o objetivo de proporcionar aos clientes observar as belezas dos pomares. “Nos últimos anos, os pomares estão carregando cada vez mais, sem contar que as laranjas estão ficando sempre mais saborosas. Eu sempre gostei de plantar, aqui na propriedade nem tenho mais espaço, mas sempre encontro um lugar para colocar um pé todo ano. É muito bonito poder ver esses pomares cheios e com frutas grandes”, ressalta o produtor.

Ao todo, o vale-solense e sua esposa contam com 200 pés da variedade Comum, 200 pés das variedades Valência e Tobias, além de 60 pés do tipo Umbigo. Em sua maioria, a produção é destinada para a feira e escolas de Vale do Sol. De acordo com Romeu, a média anual comercializada chega a 5 mil quilos. Nessa safra, a expectativa é por um aumento nas vendas com a implementação do colha e pague. “Quem vier aqui, além de poder ver  as belezas da localidade, poderá escolher a sua fruta e levar para casa. O preço do quilo da Umbigo será de R$ 2 e da Valência R$ 1.  As visitas poderão ser realizadas nas sextas e sábados”, destaca o produtor.

Conforme o extensionista rural da Emater/RS-Ascar local, Dagoberto Antunes, o clima foi fundamental para que os pomares tivessem um bom desenvolvimento neste ano. Atualmente, existem em Vale do Sol dois produtores comerciais com áreas maiores, e os demais apenas produzem para consumo e venda do excedente.

Vera Cruz

De acordo com a Emater de Vera Cruz, no município existem inúmeros pomares domésticos de citros e alguns pomares comerciais. Ao todo, somando os domésticos e comerciais, estima-se que somem aproximadamente 50 hectares plantados. 

Ainda, a entidade revela ter ocorrido uma melhora em relação à safra 2019/2020, tomando como base o preço realizado nas Centrais de Abastecimento (CEASA), onde os valores mais praticados da laranja suco estão em R$ 1,39, sendo que a laranja Umbigo nacional está em R$ 1,94.  Segundo o extensionista Alberto Pinheiro, é possível expandir a produção no Município, uma vez que o clima, solo e relevo são aptos ao desenvolvimento dos citros, fazendo com que a safra atual tivesse bons resultados. “A colheita desse ano foi favorecida por fenômenos que ocorreram ainda no ano passado, que possibilitaram um bom pegamento dos frutos e o bom desenvolvimento dos mesmos até então”, frisa ele, ressaltando o potencial para a fruticultura.

Segundo Alberto Pinheiro, existem diversos tipos de laranja, divididos conforme o formato, o sabor e a principal finalidade. As laranjas de mesa são aquelas mais indicadas para consumo in natura e, como exemplos, pode citar as laranjas de Umbigo e as laranjas do Céu, entre outras. As laranjas para suco são aquelas indicadas para elaboração de sucos e outras receitas, sendo essas mais procuradas para industrialização. São geralmente mais ácidas e de sabor mais acentuado.

Santa Cruz do Sul

Conforme o engenheiro agrônomo Marcelo Cassol, a safra desse ano vem sendo muito boa, devido ao longo período de clima seco e baixas temperatura. Entre as principais variedades comercializadas no município estão a Folha Murcha, Valência, Bahia, Navelina e Salustiana. Em Santa Cruz, são cerca de 30 produtores que investem na cultura em uma área equivalente a 40 hectares. 

 


Foto: Gabriel Fuelber/Jornal Arauto
Romeu conta com mais de 400 pés da fruta na sua propriedade em Fontes do Vale
Romeu conta com mais de 400 pés da fruta na sua propriedade em Fontes do Vale

Foto: Gabriel Fuelber/Jornal Arauto
Clima fez com que pomares ficassem carregados
Clima fez com que pomares ficassem carregados