Gincana tem pitada vera-cruzense


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 26/09/2021 12:00
Atualizado 26/09/2021 12:19

Geral   DAQUI PARA A SERRA

A retomada de uma gincana presencial atiça a curiosidade dos apaixonados pela disputa, não é mesmo? Pois ela já tem data para acontecer: dias 19, 20 e 21 de novembro. Só que o palco da competição não é a Capital das Gincanas, é Garibaldi, que festeja 121 anos de emancipação. No entanto, a disputa promovida pela Prefeitura e pelo SESC tem, sim, uma pitada vera-cruzense. Com mais de 100 gincanas elaboradas no currículo, Juliano Pauli e Paulo Celso Gerhard Júnior foram apresentados na noite desta terça-feira, dia 21, no salão de festas da Vinícola Peterlongo, para autoridades e possíveis equipes. 

A intenção dos organizadores, conta Juliano, é resgatar na população o gosto pelas gincanas, que não ocorrem por lá há cerca de cinco anos. “Será uma gincana presencial, com cuidados em relação à pandemia”, ressaltou ele, explicando que não serão promovidas aglomerações e serão mantidos os cuidados vigentes pela Secretaria da Saúde de Garibaldi e do Estado. Mas Juliano antecipa que deverá acontecer desfile e show. Aliás, o esqueleto da Gincana de Vera Cruz deverá ser levado para a Serra Gaúcha, no que se refere à organização da abertura, das esportivas, do enigma, show e desfile. A gincana deverá contar com até 30 tarefas, prevê o elaborador, dizendo que ele e Castelinho, como é conhecido o parceiro da elaboração, estão com as provas encaminhadas. “Ontem (terça-feira, dia do lançamento da Gincana) foi um dia de muito estudo por lá. É uma cidadezinha riquíssima pra gincanas em todos os sentidos”, frisa Juliano, que não esconde a animação para viver este desafio em uma cidade do porte e potencial de Garibaldi, que sabe explorar o evento para atrair ao turismo. “Pelo momento (pandemia) e pela riqueza logística e histórica da cidade, é um desafio ímpar.

Além de resgatar o espírito de competição em gincanas na cidade. Mas os participantes vão poder esperar uma gincana em moldes diferentes que gincanas anteriores. Estamos começando um trabalho do zero.
A essência do evento é que as agremiações trabalhem juntas em outros eventos no transcorrer do ano.
Isso é um sonho, a exemplo de Vera Cruz”, ressaltou.

Castelinho complementa que o projeto de elaborar gincanas fora de Vera Cruz começou em 2019, em Carlos Barbosa, onde a organização local contou ainda com Marcelo Henrique de Carvalho, o Marcelão. “Mostrando como era desenvolvida, alguns locais apresentaram condições de realizar uma gincana, numa forma de promover a cidade e alavancar o turismo. Nós adaptamos algumas coisas e melhoramos outras que achamos importantes numa gincana fora de Vera Cruz. Vemos como este evento é um bom produto para as cidades e como elas o tratam de um modo diferente do nosso, uma coisa que também podemos aprender”, observa.

 


Foto: Divulgação
Castelinho e Juliano Pauli foram apresentados na terça
Castelinho e Juliano Pauli foram apresentados na terça