Curso de Comunicação da Unisc promove palestra com jornalista que cobre conflito no Afeganistão


Por: Portal Arauto
Fonte: Assessoria de Imprensa
Publicado 13/09/2021 10:38
Atualizado 13/09/2021 10:40

Geral   EVENTO

Na próxima quarta-feira (15), os cursos de Comunicação e Fotografia da Unisc vão receber a jornalista Anelise Borges para bater um papo sobre cobertura internacional. O objetivo da conversa é focar, especialmente, no conflito do Afeganistão, já que ela é uma das poucas mulheres a realizar seu trabalho in loco – estima-se que menos de dez, no total, estejam por lá. Rodrigo Lopes, correspondente de guerra do grupo ZH, será o mediador do evento.

Anelise mora há 15 anos fora do Brasil. Atualmente, é correspondente da Euronews e desde o dia 1º de setembro está em Cabul (sua volta para a Paris, onde mora, está prevista para hoje - dia 13). Já fez reportagens em vários países, pautadas, sobretudo, em crises políticas e humanitárias.

Para o coordenador dos cursos de Comunicação e Fotografia da instituição, Willian Araújo, trata-se de uma oportunidade ímpar para agregar conhecimento sob vários aspectos. “Muito além de saber os pormenores de como é fazer jornalismo em um território conflagrado como esse, é ter acesso a uma narrativa de quem é mulher e está imersa numa situação tão ameaçadora como aquela”, avaliou.

O evento ocorre a partir das 19 horas, de forma virtual, e será transmitido pela fanpage dos cursos de Comunicação e Fotografia da Unisc. 

Saiba mais

Analise Borges é gaúcha, formada em Jornalismo, pela Universidade Federal de Santa Catarina. É mestre pelas Universidades Paris 3 - Sorbonne e Institut Européen de Journalisme, na França. Já atuou como âncora, repórter e produtora para veículos como France24, TRT World e Al Jazeera. Realizou coberturas em mais de 30 países.


Foto: Arquivo Pessoal
Anelise foi a primeira jornalista brasileira a ingressar no país após a queda do regime e a retomada do poder pelo Talibã
Anelise foi a primeira jornalista brasileira a ingressar no país após a queda do regime e a retomada do poder pelo Talibã