Vigilância Colaborativa ultrapassa 100 câmeras em Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Publicado 10/09/2021 19:23
Atualizado 10/09/2021 21:04

Polícia   SEGURANÇA PÚBLICA

Reunidos na manhã desta sexta-feira (10) na sede do Comando Regional de Policiamento Ostensivo do Vale do Rio Pardo (CRPO-VRP) autoridades em segurança pública e presidentes de entidades organizadas comemoraram o funcionamento da primeira centena de câmeras do Programa Vigilância Colaborativa de Santa Cruz do Sul.

O comandante do CRPO-VRP, Valmir José dos Reis, comentou que as 108 câmeras instaladas no Município contribui não só com a segurança dos cidadãos, como também com a resolutividade dos crimes. “Contamos com a colaboração de pessoas físicas ou jurídicas para prender criminosos. Esse sistema colabora muito com a inteligência policial. Podemos monitorar logo após os crimes ocorreram e só nos últimos dias foram diversas resoluções de crimes. A tecnologia também nos ajuda a identificar pessoas que cometeram os crimes”, ressalta.

O promotor de Defesa Comunitária de Santa Cruz, Érico Fernando Barin, destacou que a proposta deve crescer ainda mais. “Trabalhamos para que o sistema possa ser expandido também para outros locais. Realizamos um estudo jurídico no início do projeto e agora está claro que deu certo. Fizemos isso e servimos de exemplo para outros municípios. Agora a proposta é ampliar para que possamos ter todos os locais da cidade cobertos pelo sistema e auxiliar não só na prisão de indivíduos bem como na obtenção de provas judiciais”, frisa.

Como funciona o programa?

As câmeras privadas cedidas ficarão voltadas ao espaço público e serão custeadas por empresas ou pessoas que aderirem ao programa. Para participar, é preciso assinar um Termo de Adesão junto à empresa credenciada - inicialmente a Cindapa -, ter disponibilidade de internet para transmissão das imagens e pagar uma mensalidade de R$ 59,90 por aparelho ou locação (com valor conforme equipamento instalado). Segundo ele, as imagens serão armazenadas em uma plataforma e acionadas quando existir demanda. O gerenciamento do programa será responsabilidade da Assemp, com o credenciamento das empresas de segurança privada, condomínios, pessoas físicas e estabelecimentos e órgãos públicos que dispõem de câmeras de monitoramento.

Como Aderir

Para participar do Programa Vigilância Colaborativa é necessário assinar um termo de adesão para o compartilhamento das imagens na plataforma digital. O documento está disponível na Associação de Entidades Empresariais de Santa Cruz do Sul (Assemp), na Rua Coronel Oscar Jost, no Centro. A entidade funciona das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h30.


Foto: Rafael Cunha/Grupo Arauto
Câmeras privadas auxiliam os órgão de segurança na prisão de criminosos e resolução de crimes
Câmeras privadas auxiliam os órgão de segurança na prisão de criminosos e resolução de crimes

Foto: Rafael Cunha/Grupo Arauto
Vigilância Colaborativa ultrapassa 100 câmeras em Santa Cruz