Tentativas de golpe envolvem jovens em Vera Cruz


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 04/09/2021 20:00

Geral   ATENÇÃO

Nas últimas semanas, moradores de Vera Cruz têm sido surpreendidos com um novo tipo de golpe envolvendo menores. Conforme relato de vítimas, o crime geralmente envolve uma adolescente, a mãe e um suposto delegado, que em troca de não registrar ocorrência contra quem conversava com a menor, pedia uma quantia em valor.

De acordo com o titular da Delegacia de Polícia de Vera Cruz, delegado Paulo César Schirrmann, a prática de estelionatos está se tornando recorrente na região, se intensificando, principalmente, em Santa Cruz do Sul. No entanto, Schirrmann revela que somente no último mês, ocorreram quatro denúncias de estelionato em Vera Cruz, o que reforça a presença dos criminosos em toda a região. “Geralmente as pessoas que realizam esse tipo de crime são de outros estados. Nas ações, sempre estão envolvidos uma adolescente, o pai ou a mãe, e um delegado ou promotor. É importante ressaltar que a maioria dessas tentativas de estelionato e extorsão ocorrem através do Facebook ou WhatsApp”, destaca o delegado.

Orientação 

Conforme Schirrmann,  em caso de  alguém sofrer uma tentativa de golpe de estelionatários, a recomendação é de que se pare imediatamente de conversar com essas pessoas. “É muito importante que a comunidade tenha consciência de procurar a polícia e não depositar qualquer tipo de valor, independente da situação. Já estamos com uma linha de investigação a respeito desses crimes que nos foram denunciados”, conclui Schirrmann.

Surpresa

Conforme uma das vítimas da tentativa de golpe, um jovem de 21 anos, morador de Vera Cruz, após estar uma semana conversando com uma adolescente, ele recebeu mensagens e ligações da suposta mãe dela e de um delegado, que se identificou como sendo de Santa Cruz do Sul. “Acordei com mensagens e ligações, aí acabei atendendo e o suposto delegado se apresentou falando que a mãe da menina que eu conversava estava na delegacia querendo registrar queixa contra mim, por conta de abuso de menores, mas eu não havia falado nada demais com ela. Então, o delegado disse que a menina era deficiente e havia encaminhado para um psicólogo a adolescente, e que eu deveria arcar com os custos de R$ 1.500,00 se não seria preso”, detalha o jovem morador de Vera Cruz.


Foto: Taliana Hickmann/Jornal Arauto
Estelionatários geralmente residem em outros estados e buscam extorquir vítimas
Estelionatários geralmente residem em outros estados e buscam extorquir vítimas