Henrique Hermany sugere comprovação de vacina contra Covid-19 para participação em eventos


Por: Portal Arauto
Publicado 02/09/2021 16:18
Atualizado 02/09/2021 21:36

Geral   SANTA CRUZ

O vereador Henrique Hermany (PP) protocolou nesta quinta-feira (2) uma indicação para o Executivo de Santa Cruz do Sul para que seja exigida a comprovação de vacina contra Covid-19 para participação de eventos. De acordo com o documento, o vereador sugere a obrigatoriedade da apresentação da carteira de vacinação ou documento equivalente por quem quiser participar de qualquer ato e/ou evento, promovido pelo setor público ou privado, excepcionalizando as atividades essenciais, como supermercados, farmácias e restaurantes.

Na justificativa, o vereador ressaltou que se trata de uma medida preventiva e justa. "Preventiva, por ter o objetivo de preservar a saúde e a vida das pessoas. Justa, por não permitir que pessoas cuidadoras de sua saúde, que fizeram a vacina contra a Covid-19, sejam infectadas por pessoas que não fizeram esta vacina. Pode haver a justificativa de que o cidadão tem a liberdade em se vacinar ou não, mas este cidadão não tem o direito de prejudicar a saúde e a vida de outrem", escreveu. 

Segundo o vereador Henrique Hermany, que também é lider do governo na Câmara, é necessário que seja continuado o combate à Covid-19, evitando com que as pessoas sejam infectadas. "Neste sentido, estamos propondo que toda pessoa, antes de ingressar num ato ou evento público ou privado, cuja atividade não seja essencial, deve apresentar a carteira de vacinação ou documento equivalente, comprovando efetivamente a vacinação da pessoa contra a Covid-19", disse. 

Em entrevista ao Grupo Arauto, o vereador ressaltou que a iniciativa é uma forma de conscientizar e incentivar as pessoas a fazerem a primeira e segunda dose. "O percentual de primeiras doses está muito bom, mas as pessoas estão deixando de fazer a segunda e completar o ciclo vacinal. Os municípios que fizeram esse tipo de regramento acabaram tendo um impulso para a vacinação completa. Não tem como em atividades essenciais, como restaurantes, farmácias e mercados, você impedir que as pessoas entrem. Mas podemos fazer nas atividades de lazer. Afinal, a pessoa não quer se vacinar, mas não pode colocar outras pessoas em risco", comentou. 


Foto: Jacson Stülp/Câmara de Vereadores
Vereador Henrique Hermany
Vereador Henrique Hermany