Voluntários do CVV ampliam horários de atendimento em setembro


Por: Portal Arauto
Fonte: Assessoria de Imprensa
Publicado 30/08/2021 10:56
Atualizado 30/08/2021 12:27

Geral   SANTA CRUZ DO SUL

A equipe de voluntários do posto do Centro de Valorização da Vida (CVV) de Santa Cruz do Sul fará uma ação diferente dentro do mês de setembro. Com a restrição aos eventos presenciais – uma das normas da coordenação nacional do serviço ainda em vigor por causa da pandemia – os voluntários que atuam junto a este posto, dentro do município, irão ampliar a carga horária, ficando mais tempo à disposição de quem precisa de ajuda. Associação Amigos da Vida é a única mantenedora do CVV nas regiões do Vale do Rio Pardo e Taquari.

A porta-voz do CVV Santa Cruz, Naira Lisane Zanette, conta que a medida foi adotada pela equipe de ampliar a carga horária. Tradicionalmente, a unidade realiza eventos presenciais, no entanto, em função da pandemia da Covid-19 e sob diretrizes do CVV nacional, a alternativa foi ampliar a jornada de trabalho. Atualmente com 16 voluntários – número recorde no atendimento santa-cruzense – a equipe estenderá o horário para o atendimento. “Cada voluntário aumentará o seu número de horas. Como haverá a programação tradicional do Setembro Amarelo, estaremos com uma maior disponibilidade para atendimento junto ao 188. Aumentando o número de horas, cada um de nós irá doar um pouco mais para o outro”, propõe Naira.

Cada membro da equipe dispõe de quatro horas semanais ao serviço, mais duas mensais, para planejamento. A intenção, segundo a porta-voz, é deixar aberto para que cada voluntário faça o ajuste necessário à sua carga horária, elevando o número de tempo que irá disponibilizar ao atendimento.

Naira explica que o número de voluntários que se juntaram ao serviço no último ano anima o grupo. Ao todo, são 16 pessoas que se alternam no posto em Santa Cruz do Sul, que funciona junto ao Corpo de Bombeiros, conectados à rede nacional de atendimento. “Com isso, nós conseguimos aumentar também o tempo de atendimento junto ao serviço”, relata. O número 188 é nacional. Quando alguém liga em busca do acolhimento oferecido pelo CVV, a chamada pode cair em qualquer um dos 120 postos em funcionamento no país. Com maior número de voluntários, a contribuição do CVV Santa Cruz, a todo o sistema, também é muito maior.

A porta-voz explica que além do telefone 188, o CVV atende por e-mail e chat que poderão ser acessados por meio do site: http://www.cvv.org.br, disponível durante 24 horas de forma sigilosa e gratuita. “Pode acontecer de ter fila de espera no atendimento, então sugerimos que as pessoas aguardem alguns instantes pois a procura em certos horários é mais intensa”, recomenda a voluntária.

O medo da pandemia

Se o isolamento social é um dos fatores causadores da depressão e dos problemas que ela carrega, a incerteza e o medo da doença também viraram tema dos acolhimentos feitos pelo CVV em todo o país. Com uma média de 11 mil ligações atendidas por dia, o serviço não apresentou um aumento substancial de acesso nos últimos dois anos. “Além das ligações, ocorrem os acessos pelo chat via internet. Mas o número de ligações por dia, permanece praticamente o mesmo”, diz a porta-voz do CVV.

Os assuntos tratados no acolhimento via telefone apontam para o drama pessoal da Covid-19. O medo da doença e até mesmo da morte viraram pauta constante do serviço. “A gente procura estender a mão através do telefone para aqueles que estão isolados em suas casas. Damos um acolhimento para fazer com que eles voltem a ver a beleza do sol. Isso é lindo! Não tem como definir”, complementa Naira Lisane Zanette, do CVV Santa Cruz.

Um serviço de doação ao próximo

Além das programações do Setembro Amarelo, o mês que iniciam agora é especial para a Associação Amigos da Vida, mantenedora do posto do CVV em Santa Cruz. Nesta sexta-feira (3), a entidade completa 16 anos de atividade no município. “Nós queríamos promover um evento, mas como ainda há esta dúvida quanto aos eventos presenciais, decidimos então fazer uma ampliação da carga horária. Este é o grande foco: atender, cuidar e dar o acolhimento às pessoas. Eu acho isso fantástico, pois faremos uma coisa diferente”, avalia Naira.

Mesmo com 16 voluntários na equipe, a busca por pessoas dispostas a fazer parte da rede de acolhimento é constante.  “Continuamos com inscrições e treinamentos online, pois sempre são necessários mais membros para manter a equipe do posto, assim como termos condições de efetuar mais atendimentos em prol da vida”, diz a porta-voz do CVV Santa Cruz.

Saiba mais

O Centro de Valorização da Vida (CVV), fundado em São Paulo, em 1962, é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de Utilidade Pública Federal, desde 1973. Presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato. Ao todo, são 120 postos em todo o país, e Santa Cruz do Sul tem um deles.

Para ser voluntário é preciso ter mais de 18 anos de idade, pelo menos quatro horas disponíveis por semana e vontade de ajudar pessoas. Como as ligações são gratuitas para quem liga, elas são pagas pelos próprios voluntários que contribuem para manter a instituição.

Quem quiser cooperar com o CVV Santa Cruz, pode depositar nas contas da entidade. Sicredi, agência 0156, conta corrente 38.249-0; Caixa Econômica Federal: agência: 0500, conta 2684-0, operação 013. Os depósitos são feitos para a Associação Amigos da Vida – Santa Cruz do Sul. CNPJ: 07.708.503/0001-65


Foto: Divulgação
Ampliação de horário foi implementada como atividade extra devido ao Setembro Amarelo
Ampliação de horário foi implementada como atividade extra devido ao Setembro Amarelo