Como devem ser manuseadas e aplicadas as doses da Pfizer?


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 30/05/2021 08:00

Geral   CONTRA A COVID

Na próxima segunda-feira, dia 31 de maio, os municípios de abrangência da 13ª Coordenadoria Regional de Saúde (13ª CRS) farão a retirada do primeiro lote de vacinas da Pfizer, utilizadas na aplicação da primeira dose contra a Covid-19 - lembrando que posteriormente deve ser feito o reforço. Para Santa Cruz do Sul, Vale do Sol e Vera Cruz serão destinadas, respectivamente, 1.104, 102 e 228 doses. Diferentemente das demais vacinas já em uso, essa possui características específicas de armazenamento, manuseio e aplicação. Desta forma, os municípios tiveram de passar por capacitação no início desta semana. 

O lote de vacinas chegou à região na manhã de terça. Desde então, as doses estão armazenadas em ultrafreezers na Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), em temperatura de -70 °C - o que permite maior durabilidade da vacina, de até seis meses.

De acordo com a coordenadora regional de imunizações, Jaqueline Thier Müller, a distribuição aos municípios na próxima segunda-feira será feita a partir das 8 horas. “A partir daí começa a contar um prazo de até 120 horas de validade das doses. Isso acontece porque ao serem retiradas dos ultrafreezers, as doses serão repassadas às Secretarias de Saúde refrigeradas entre 2°C e 8°C. Nesta temperatura elas podem ficar por até cinco dias, ou seja 120 horas. Então, será imprescindível que os municípios façam a retirada e iniciem a aplicação o mais rápido possível”, esclarece. 

Antes da distribuição das vacinas, os municípios tiveram que encaminhar até esta quinta-feira um termo a 13ª CRS, onde indicam quantas doses vão retirar – conforme o limite estipulado para cada um deles – e afirmando o compromisso em aplicar as vacinas dentro do prazo de validade. “Os municípios que entenderem que não vão conseguir aplicar todo o quantitativo de vacinas destinado ao longo da semana, poderão retirar uma parte das doses a partir de segunda-feira e o restante na semana seguinte – sendo que o restante continuará armazenada nos ultrafreezers. A intenção é que não haja desperdícios, pois sabemos que vem um feriado pela frente e os municípios terão um prazo curto para aplicação das vacinas”, finaliza. 

 

O ULTRAFREEZER

Para tornar possível o armazenamento das vacinas da Pfizer em temperaturas extremamente baixas, a Unisc disponibilizou ultrafreezers, que mantêm temperaturas que variam de -50°C a -86°C. Segundo a diretora de Inovação e Empreendedorismo da Unisc, Andreia Valim, esses equipamentos são utilizados na instituição de ensino para projetos de pesquisa. “Os projetos de pesquisa mantêm coleções de materiais biológicos e esses, por sua vez, têm manutenção e estabilidade melhor quando mantidos a baixas temperaturas, normalmente -80°C”, esclarece, ao citar que a universidade dispõe de mais um tamanho de ultrafreezer, sendo mais comum o de 486 litros. 
“A Unisc tem sido parceria da região, pois entendemos que é preciso unir nossas forças. Temos trabalhado para dar suporte, como os próprios testes diagnósticos de Covid-19 que realizamos e uma série de ações que aconteceram”, frisa Andreia, ao destacar que um ultrafreezer também será disponibilizado para a 8ª CRS, pertencente à região de Cachoeira do Sul. 

PÚBLICO-ALVO

A Secretaria Estadual de Saúde orienta para utilização da primeira dose da vacina da Pfizer para pessoas com deficiência permanente, que tenham entre 18 e 59 anos e estejam cadastradas no Benefício Assistencial à Pessoa com Deficiência (BPC) do Governo Federal, pessoas com comorbidades na faixa etária de 38 e 39 anos (acima dessa idade já tiveram doses disponibilizadas pelo Estado), além de gestantes com comorbidades e/ou gestantes sem comorbidades que apresentem indicação médica de avaliação dos riscos e benefícios. 


Foto: divulgação
Ultrafreezers chegam a temperaturas de até -86°C
Ultrafreezers chegam a temperaturas de até -86°C