Com o União Corinthians, campeão outra vez


Por: Portal Arauto
Publicado 25/05/2021 10:37
Atualizado 25/05/2021 10:37

Esportes   BICAMPEONATO

De volta ao União Corinthians, Luciano Hillesheim reviveu neste sábado (22) as emoções de sair vitorioso ao lado do time santa-cruzense. Massoterapeuta e mordomo, o profissional também acumulava as duas funções em 1994, quando o grupo comandado por Ary Vidal conquistou o título que ficou na história de Santa Cruz do Sul. Dessa vez, sob o comando de Athos Calderaro, ele carimbou em sua própria trajetória o orgulho de ser bicampeão.

Afinal, há 27 anos, apenas ele e Fernando Larralde, supervisor da comissão técnica atual, estavam no elenco vitorioso. Por isso, presenciar a vitória de 80 a 68 contra o Flamengo Blumenau significou mais do que uma conquista profissional, mas também um feito que jamais será esquecido por ele e sua família. “Foi muito emocionante. É inédito! Vai ficar na história! Vamos ser lembrados para sempre com as duas conquistas. Muitos me encontraram ontem e disseram: ‘você é bicampeão, você estava na outra!’ Ouvir isso é muito gratificante! Me sinto lisonjeado de participar disso, de estar presente. Vou levar para o resto da minha vida”, disse.

Sua primeira participação com o União Corinthians durou mais do que uma década: de 1990 a 2002. Depois, sem equipes profissionais, mudou de esporte e passou a trabalhar como massoterapeuta no futebol. Passou pelo Avenida e, antes do retorno para Santa Cruz do Sul, estava em Caxias do Sul, onde atuou por quatro anos junto ao Juventude. Aos 53 anos, ficou imensamente feliz de retornar para a cidade natal, mas também para o time que lhe proporcionou tantas oportunidades. “O reconhecimento profissional foi muito importante após a vitória de 1994 e agregou muitas coisas, como ofertas de trabalho. Seu currículo fica melhor, você passa a ser respeitado”, comentou.

Com diversas experiências na bagagem, Hillesheim retornou ao União Corinthians com a certeza de que grandes conquistas são possíveis após muito trabalho. “Temos jogadores de Santa Cruz, mas a grande maioria é de fora. Mesmo assim, eles abraçaram a causa e entenderam o objetivo do clube, da diretoria e da comissão técnica. Desde o início foi um grupo muito bom, guris de cabeças boas e concentrados. Trabalhamos muito, finais de semana, feriados. Trabalhamos muito pra chegar ao local que chegamos e os méritos vieram”, ressaltou o profissional que costuma ser o primeiro a chegar, o último a sair e o que até a chave do ginásio tem a chance de guardar.

Agora, a dedicação continua. Afinal, o plano é jogar o NBB, maior campeonato brasileiro de basquete. “A diretoria está empenhada, conversando com patrocinadores. Queremos continuar representando bem a nossa cidade e voltar a ter jogos no Poliesportivo com público. Esse é o maior sonho de todos nós. Ver o ginásio novamente com lotado e a torcida feliz”, salientou. Enquanto isso, Hillesheim continua ao lado de Gustavo Kniphoff, fisioterapeuta do grupo, focados na continuidade do legado do time. “Vamos começar a trabalhar no começo de junho com o sub 19 e sub 22, que são categorias de base. Com a Liga de Desenvolvimento do Basquete (LDD) vamos preparar jogadores para a substituição dos que forem parando e ficando mais velhos. É a formação das novas gerações do União Corinthians”, resumiu.

Aliás, é permitido acreditar num futuro tão belo quanto esse presente. “Eu não tinha dimensão se a vitória nacional poderia acontecer novamente. São 27 anos de diferença! Eu só tenho a agradecer por ter vivido isso duas vezes. Em 1994, tínhamos mais estrutura. Por isso digo: o Athos é um batalhador. Só temos o basquete profissional porque esse cara não deixou a chama apagar. Santa Cruz gosta de basquete e o Athos tem esse mérito porque correu atrás, mesmo com dificuldades financeiras e em meio à pandemia. Precisamos comemorar muito, porque mesmo com tudo isso conseguimos a sonhada vitória”, analisou.


Foto: Arquivo Pessoal
Luciano Hillesheim se orgulha dos momentos vividos em 1994 e também em 2021
Luciano Hillesheim se orgulha dos momentos vividos em 1994 e também em 2021