Com o objetivo de ampliar a segurança pública, Programa Vigilância Colaborativa busca novas parcerias


Por: Portal Arauto
Publicado 20/04/2021 16:56
Atualizado 20/04/2021 17:50

Polícia   SANTA CRUZ MAIS SEGURA

Lançado no final de 2019, o Programa Vigilância Colaborativa deve ser ampliado em Santa Cruz do Sul. Durante coletiva realizada na tarde desta terça-feira (20) na sede do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Rio Pardo (CRPO/VRP), o comandante coronel Valmir José dos Reis apresentou os resultados já obtidos através das 44 câmeras já incrementadas ao sistema e convidou a comunidade, comerciantes e moradores do município para aderirem ao projeto.

Em um parceria público-privada, a Brigada Militar conta com apoio da Prefeitura, do Ministério Público, da Associação de Entidades Empresariais de Santa Cruz do Sul (Assemp), da Cindapa e das empresas ou pessoas interessadas em contribuir. Por enquanto, 40 das câmeras foram instaladas após doação do MP, mas o objetivo é que a comunidade e os comerciantes passem a integrar o sistema, possibilitando que policiais tenham acesso às imagens em tempo real e também aos registros efetuados nos últimos sete dias.

Dessa forma, segundo o coronel Reis, o projeto potencializa a vigilância do território para a pronta resposta e elucidação de crimes. "É uma ferramenta barata e com grandes resultados. Esse projeto recebe todo o nosso aplauso e nosso engajamento. Afinal, todos que têm sistema monitoramento podem participar. Assim, estarão produzindo segurança para sua família e para a comunidade", destacou. Embora possa estar interligado com residências e espaços comerciais, o coronel salienta que apenas gravações de áreas públicas são coletadas e que o material só pode ser conferido pelos próprios policiais durante o serviço. 

Através do aplicativo Digiforte instalado pela Cindapa - primeira empresa a fazer parte do projeto com a geração da tecnologia - os agentes podem visualizar um mosaico de imagens, com opção de toque para a opção da tela desejada. Conforme o secretário de Segurança, Transporte e Mobilidade Urbana de Santa Cruz do Sul, coronel Everton Oltramari, a inclusão da tecnologia é um passo importante para a melhoria da segurança pública. "Com essa proposta, juntamente com o projeto da Prefeitura de Cidade Inteligente e o cercamento eletrônico planejado pelo Cisvale, tenho convicção de que podemos transformar Santa Cruz na cidade mais segura do país. Temos um MP atuante e uma comunidade participativa. Podemos ampliar cada vez mais", disse. 

Para o promotor Érico Fernando Barin, que liderou as discussões sobre o projeto Vigilância Comunitária no município, ver o sistema em andamento é gratificante. "Foi uma ideia frutificada por várias mãos no Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM). Fico muito feliz com esse momento, pois o cidadão que aderir ao sistema vai estar contribuindo com a segurança pública. Santa Cruz é um terreno fértil para que essas ideias sejam concretizadas. Penso que o serviço público bem feito é aquele que tem a cabeça na iniciativa privada. Afinal, os sistemas se somam em prol dos cidadãos. Agora, é hora de pulverizar o projeto pela cidade e também pelo interior", pontuou. 

Os interessados em participar - ao disponibilizar o monitoramento de câmeras de segurança - para a polícia, podem entrar em contato com a Associação de Entidades Empresariais de Santa Cruz do Sul (Assemp). Segundo o presidente da entidade, Fabio Costa de Borba, todo mundo que tem uma câmera de segurança ou pretende instalar não pode deixar de pensar em participar do projeto. "É aberto para todos. Pode englobar inclusive associações de moradores, com a instalação de câmeras em determinadas ruas pelos próprios moradores", sugeriu. O número para contato com a Assemp é (51) 3715-6844.


Foto: Luiza Adorna/Portal Arauto
Proprietários de residências ou estabelecimentos comerciais podem interligar suas câmeras de monitoramento à polícia
Proprietários de residências ou estabelecimentos comerciais podem interligar suas câmeras de monitoramento à polícia

Foto: Luiza Adorna/Portal Arauto
Promotor Erico Barin, coronel Reis, secretário coronel Everton Oltramari e tenente-coronel Giovani Paim Moresco
Promotor Erico Barin, coronel Reis, secretário coronel Everton Oltramari e tenente-coronel Giovani Paim Moresco