Atendimentos Covid nos Ambulatórios de Campanha de Santa Cruz e Vera Cruz têm queda em abril


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 21/04/2021 07:00

Geral   MELHORA NOS ÍNDICES

Desde o dia 17 de abril, o Ambulatório de Campanha de Santa Cruz do Sul retomou o atendimento até as 21 horas, adiantando o fechamento das portas, que antes ocorria a meia-noite. A mudança é um indicativo da redução na procura por atendimento, principalmente depois deste horário, conforme a Secretária de Saúde, Daniela Dumke. “Depois das 21 horas tínhamos entre quatro e oito pacientes no máximo, então não tinha porque manter a estrutura aberta até mais tarde, sendo que poderiam ser atendidos com a outra demanda”, explica. 

Nesse ritmo, a redução nos atendimentos relacionados à Covid-19 no espaço tem ocorrido de forma geral. De acordo com a responsável pela pasta, o Ambulatório registrou em março 80 atendimentos em média por dia, sendo que em abril esse número reduziu para 68 por dia. A diminuição na procura relativa às síndromes gripais possibilitou, inclusive, a desativação das Unidades Sentinelas, criadas para o atendimento desses pacientes até 19 horas no município, além de que o Pronto Atendimento do Hospital Santa Cruz retomasse os atendimentos dos pacientes classificados como baixo risco.

Entre os fatores que provocam esse efeito está a vacinação, segundo Daniela. Além disso,  o andamento da aplicação das doses tem feito reduzir a procura por pacientes idosos junto ao Ambulatório, ao mesmo tempo em que um número maior de jovens tem buscado atendimento no local - tendo a maioria entre 40 e 50 anos, em média. “Vejo que há essa incidência maior devido aos jovens terem voltado ao trabalho, às atividades diárias, aos encontros com familiares e serem mais ativos diariamente”, complementa a profissional.

VERA CRUZ

A secretária de Saúde de Vera Cruz, Clair Tornquist, afirma que uma redução mais significativa da procura junto ao Ambulatório de Campanha é sentida desde o início da semana passada. Entre os dias 5 e 9 de abril foram registrados 283 atendimentos, já entre 12 e 16 de abril, a procura foi de 233 pacientes. A redução, conforme a responsável pela pasta, se deu também no número de encaminhamentos para coleta de testes RT-PCR e rápidos. Na semana de 5 a 9 de abril foram aplicados 74 RT-PCR e 41 testes rápidos. Se comparada a semana passada, entre os dias 12 e 16, os PCR caem para 58 e os rápidos para 30. “Muitos pacientes não têm evoluído para quadros graves, podendo fazer o isolamento domiciliar e outros não têm quadros sintomáticos que levem à necessidade de realização do exame”, explica. 

Já em relação às internações hospitalares, conforme boletins epidemiológicos divulgados nas últimas semanas, a redução no volume é sentida há mais tempo. Após contabilizar 29 pacientes internados em 17 de março, um mês depois, em 16 de abril, esse número caiu para 14, ou seja, pela metade. 

Clair avalia que um dos fatores que impactam na diminuição da demanda junto ao espaço destinado ao atendimento de pacientes respiratórios é a maior conscientização das pessoas. “A população tem procurado o serviço realmente mediante necessidade, já que quadros mais leves são orientados a permanecer no isolamento em casa e a não circular pelos espaços do município”, frisa. Segundo ela, esse cenário está condicionado também a outros fatores, como o respeito às normas e decretos – visando, por exemplo, a retomada do comércio (já ocorrida) e das aulas presenciais – e às teleconsultas. “Estamos completando um mês das teleconsultas no município e já sentimos o impacto positivo. Não é um quantitativo exagerado de atendimentos, já que ainda é uma questão cultural e as pessoas vão se acostumar aos poucos, mas que vem evitando a circulação desnecessária. Além disso, por esse meio se identificam casos que não estão relacionados à Covid-19, possibilitando que os pacientes sejam direcionados para o local correto de atendimento”, explica.

Entre as mudanças nos últimos dias, ainda, a secretária afirma que um público mais eclético tem procurado o Ambulatório. Dessa forma, além de idosos, pessoas de faixas etárias cada vez mais jovens, entre 18 e 40 anos, têm se deslocado até o espaço em busca de atendimento. Contudo, afirma que ainda não se pode dizer com certeza que esse seja um efeito do avanço da vacinação, já que ainda há movimentação de um público com idade mais avançada no local. 

Reorganizar equipes conforme as demandas é desafio para Secretarias de Saúde

Na pandemia, um dos grandes desafios das Secretarias de Saúde tem sido adequar o número de profissionais disponíveis para atender as demandas expressivas de trabalho e atendimento. Em Vera Cruz, a secretária de Saúde, Clair Tornquist, explica que houve diversas baixas na equipe. “Tivemos um quantitativo expressivo de profissionais que precisaram ficar em isolamento por causa da Covid-19, tivemos também muitos médicos que passaram nas provas de residência e, consequentemente, se desligaram, ou ainda, profissionais que foram chamados para trabalhar em outros municípios, isso porque a demanda vinha ocorrendo em todos os lugares. De médicos foram cerca de oito baixas. Em resumo, tudo isso acabou sobrecarregando a demanda dos demais colegas e gerando mais filas de espera no Ambulatório de Campanha, cujos atendimentos por dia chegavam a 150 em março”, considera, ao citar a bravura dos profissionais que seguraram as pontas e atenderam a demanda cada vez maior. 
Contudo, com a redução nos atendimentos, a contratação de dois novos médicos e a diminuição dos profissionais em isolamento, a responsável pela pasta revela que tem sido possível reorganizar as equipes. Entre os avanços, frisa que a partir desta semana vão ser reorganizados os atendimentos das Equipes Volante da Secretaria de Saúde, de Ferraz e Linha Andréas. Dessa forma, a Secretaria e o Prefeito Gilson Becker estudam a possibilidade das equipes fazerem a aplicação da vacina da gripe em moradores dessas localidades, que não têm salas de vacinação.  

Em Santa Cruz do Sul, a redução da procura por atendimento de pacientes com síndromes gripais, seja no Ambulatório de Campanha ou demais unidades,  também possibilitou o remanejo das equipes de trabalho na Saúde, que foram destinadas para atuar na vacinação contra a Covid-19, na atenção básica e para apoio na Vigilância Epidemiológica. 


Foto: Jornal Arauto / Taliana Hickmann
Além da queda na procura, público mais jovem tem buscado atendimento no Ambulatório
Além da queda na procura, público mais jovem tem buscado atendimento no Ambulatório