Vacinados devem evitar atraso para a segunda dose


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 17/04/2021 12:20
Atualizado 17/04/2021 12:24

Geral   REFORÇO VACINAL

Com um ritmo de imunização ainda longe do ideal, a vacinação contra a Covid-19 continua.  A vacinação no Brasil tem ocorrido com imunizantes que necessitam da aplicação de duas doses para maior eficácia e segurança. É  necessário que a população fique atenta ao período de reforço vacinal descrito na carteira de vacinação, o que em muitos casos não tem ocorrido, fazendo com que os Municípios fiquem em compasso de espera para imunizar as pessoas que já fizeram a primeira dose.

Vera Cruz 

Conforme a Secretária Municipal de Saúde, Clair Tornquist, a última atualização na quarta-feira, dia 14, informava que 30 pessoas estavam com a aplicação da segunda dose em atraso no Município. Atualmente, 4.744 pessoas haviam feito a primeira dose e 612 a segunda dose. No entanto, mesmo com algumas pessoas retardando o reforço vacinal, Clair destaca que a imunização segue conforme o esperado pela Secretaria. “Até o momento a vacinação ocorre dentro da normalidade no município e esperamos que todos fiquem atentos para a data de aplicação da segunda dose”, ressalta Clair, que afirma ter doses reservadas para a imunização complementar. “Desde o início seguimos rigorosamente o plano operativo de aplicação das vacinas, respeitando, neste sentido, a reserva  da segunda dose”, conclui.

Santa Cruz do Sul

De acordo com o enfermeiro da Coordenação do Setor de Imunização de Santa Cruz, Roger Rodigues Peres, estão armazenadas para a imunização complementar cerca de 3.200 doses, na Central da Rede de Frio do Município, local onde são guardadas as vacinas. Ainda, existem doses na Unisc, onde também acontece a vacinação. Sobre atraso no reforço, o enfermeiro revela que estão ocorrendo casos de retardo para a segunda dose. “Existem muitas variáveis para a pessoa não fazer a segunda dose. No momento, aguardamos com expectativa a divulgação da lista de pessoas que não fizeram a segunda dose por município. Essa lista será encaminhada pela Secretaria Estadual de Saúde, e será importante para nós, pois no momento não temos acesso a estes dados”, destaca o enfermeiro, que revela ser necessário reforçar a vacina para “evitar as formas mais graves da doença”. Foram até o momento aplicadas 25.235 vacinas da primeira dose e 7.426 do reforço.

Vale do Sol 

Conforme a Secretaria de Saúde de Vale do Sol, a aplicação da segunda dose no Município está transcorrendo de forma tranquila, sendo responsabilidade das Estratégias de  Saúde da Família (ESFs) definirem a maneira de realizar a vacinação, que tem ocorrido por agendamento. “Convidamos a população para que venha fazer o reforço da vacina nos dias corretos anotados na carteirrinha de vacinação. Aqueles que se atrasam geralmente realizam o contato com as ESFs nos dias posteriores para se vacinar”, afirma. O município já imunizou cerca de 2.900  pessoas  com a primeira dose e 540 com a segunda.

Comorbidades

Assim que os municípios terminarem de vacinar os idosos (pessoas com 60 anos ou mais) contra a Covid-19, poderão iniciar a vacinação de adultos de 18 a 59 anos que têm alguma comorbidade. A tendência é que o Ministério da Saúde adote o mesmo sistema de organização por idade para as pessoas com comorbidades. Primeiro irão se vacinar as pessoas deste grupo que tenham 59 anos, depois 58 e assim por diante, em ordem decrescente. Entre as comorbidades que serão prioridade estão: diabetes, pneumopatias crônicas graves, Hipertensão Arterial Resistente (HAR), hipertensão arterial estágio 1, 2  e 3 , insuficiência cardíaca, Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar, cardiopatia hipertensiva, síndromes coronarianas, valvopatias, miocardiopatias e pericardiopatias, doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas, arritmias cardíacas, cardiopatia congênita no adulto, próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados, doença cerebrovascular,  doença renal crônica, imunossuprimidos, anemia falciforme, obesidade mórbida, síndrome de down, cirrose hepática. Não há, porém, previsão de remessa de novas doses para a ampliação a este grupo. 


Foto: Gabriel Fuelber/Jornal Arauto
Aplicação da segunda dose é fundamental para garantir eficácia do imunizante
Aplicação da segunda dose é fundamental para garantir eficácia do imunizante