"Vamos enfrentar um feriado e precisamos manter os cuidados", diz Secretária de Saúde de Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Publicado 27/03/2021 07:00
Atualizado 27/03/2021 07:02

Geral   PANDEMIA

Embora o número de internações clínicas tenham reduzido nesta quinta-feira e sexta-feira em Santa Cruz do Sul, a pandemia da Covid-19 ainda é motivo de muita preocupação para os profissionais da saúde, que visualizam óbitos diariamente há algumas semanas. Por isso, a proximidade do feriado de Páscoa traz um alerta para toda a comunidade: ainda é preciso se cuidar. É o que pede a Secretária de Saúde do município, Daniela Dumke.

Segundo ela, por mais esperançoso que seja a visualização de alguns índices em queda, sempre será necessário lembrar de outras questões que preocupam, como a lotação de leitos de UTI. "Precisamos primeiro diminuir os atendimentos para depois reduzir a parte clínica e depois diminuir a UTI. Estamos no caminho. Por isso, continuem se cuidando. As UTIs continuam superlotadas. Evitem aglomerações, mesmo entre as famílias. Temos a falsa sensação de que com a gente não vai acontecer, mas não é bem assim", destaca.

O momento é, conforme acredita Daniela, de manter os padrões de cuidados. "Olhem quanto tempo estamos remando para baixar esses índices que vêm lá do final de fevereiro. Agora que estamos conseguindo colher um resultado positivo depois de tanto sacrifício! Se relaxarmos com os cuidados, em dois, três dias, vai acontecer a mesma coisa. O efeito rebote vai vir. Mas, se mantermos a redução de índices, juntamente com a vacinação que está aumentando, poderemos ter uma boa perspectiva para os próximos tempos", diz. 

Contaminação também ocorre dentro de casa

A secretária Daniela ressalta a importância de entender que, para ocorrer uma contaminação, não é preciso ir a lugares distantes. Muitas vezes, ela ocorre bem próximo, sem nem mesmo a comunidade entender aquele risco. "As famílias acabam se reunindo e a contaminação ocorre dentro das casas. O feriado vai possibilitar que as famílias se visitem, que as famílias interajam nesta data festiva e isso me preocupa muito. Continuem se cuidando", pede.

Outro ponto que ela pontua é a falsa ilusão de que a vacina evita a proliferação do vírus. "A vacina diminui o risco da gravidade da doença, mas não quer dizer que a pessoa não irá contrair e contagiar. Sei de pessoas que estão com as duas doses da vacina e pensam que não precisam mais seguir protocolos. Muito pelo contrário, estamos numa fase crucial para tentar reverter e manter o controle dessa situação tão crítica. Todos nós somos responsáveis pela saúde um do outro neste momento. Não podemos ser egoístas e pensar só na gente", fala.

Procura pelo ambulatório reduziu, mas os casos estão mais graves

O estágio inicial da doença nas últimas semanas tem preocupado a Secretaria de Saúde de Santa Cruz do Sul. Mesmo com a redução gradativa de procura pelo Ambulatório de Campanha, os casos que chegam, geralmente, são mais graves do que aqueles do ano passado. "Antes a doença ia piorando aos poucos e agora a gente vê que a evolução dela é muito rápida. Acreditamos que isso deve ocorrer por conta de novas variantes. Inclusive, as idades vêm mudando. Temos uma faixa etária de 30 a 50 anos de contaminados que acabam evoluindo para casos graves. É preciso estar atento: a maioria daqueles que precisam de internações chegam com quadros respiratórios, como a falta de ar", alerta. 


Foto: Divulgação
Número de internações em leitos clínicos diminui nos últimos dias
Número de internações em leitos clínicos diminui nos últimos dias