Comércio tem movimento tímido na semana de reabertura


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 27/03/2021 09:45
Atualizado 27/03/2021 09:45

Geral   COMÉRCIO

Após muitos debates e discussões entre o Governo do Estado e a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), ficou definida a volta da cogestão na última segunda-feira, dia 22.  Mais do que uma simples medida, a cogestão permitiu que o comércio pudesse retomar o atendimento presencial, impossibilitado desde que o Estado foi classificado em bandeira preta sem possibilidade de cogestão.

Em Santa Cruz do Sul, as proprietárias da Bambokids,  Mireli Regina Sonda e Joici Sonda afirmam que estavam na expectativa pela retomada, pois a troca de estação faz com que as vendas aumentem na loja. Nesta primeira semana de portas abertas, a loja que trabalha com roupas e acessórios infantis novos e usados sentiu uma pequena melhora na comercialização dos produtos. "“Neste período há um acréscimo nas vendas devido à troca da estação e à Páscoa. As pessoas buscam novas formas de presentear”, ressaltam. 

Vera Cruz 

Na Capital das Gincanas a movimentação foi baixa segundo os comerciantes locais. Mesmo com a flexibilização das medidas que restringiam a abertura de serviços não essenciais, o receio por parte dos consumidores diante da atual situação da pandemia explica a procura tímida nas lojas. Segundo a proprietária da loja StarMachine, Marta Sehn, a reabertura foi fundamental para os lojistas terem um suporte para lidar com as finanças. “A reabertura é muito importante para a sobrevivência do comércio, pois as pessoas gostam do atendimento presencial”, afirma a empresária, que condiciona o baixo movimento a um cuidado ainda maior que as pessoas estão tomando.

A cabeleireira e empresária Cristiane Bernardy da Silva, proprietária da loja Cris Bernardy Semijoias e Acessórios, revela que a reabertura fez aumentar a circulação em frente ao seu estabelecimento, mas nada comparado aos períodos anteriores, em que diariamente eram vendidos diversos acessórios. Agora, diante do cenário de incertezas, Cristiane frisa que é necessário “se reinventar para conseguir passar pelas dificuldades”.

Ainda em Vera Cruz, mesmo as empresas que integram o comércio considerado essencial e estavam com as portas abertas tiveram queda nas vendas. Conforme Thiago Werner, proprietário da Cia da Limpeza, as medidas de fechamento nas últimas semanas fizeram com que as vendas do varejo despencassem. E apesar da retomada, elas ainda não voltaram ao normal.

CDL

Conforme o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), de Santa Cruz, Ricardo Bartz, a entidade tem o intuito de defender os interesses da classe. “Trabalhamos pela reabertura do comércio em esfera municipal, estadual e até federal”, afirma. Segundo Bartz, a retomada será de “forma gradativa, sendo um alento para minimizar os prejuízos dos dias em que o comércio esteve fechado”, ressalta.


Foto: Gabriel Fuelber/Jornal Arauto
Comerciantes analisam baixo fluxo de clientes como reflexo da situação da pandemia
Comerciantes analisam baixo fluxo de clientes como reflexo da situação da pandemia