Abandono escolar em meio à pandemia: Santa Cruz executa plano para resgatar estudantes


Por: Portal Arauto
Publicado 28/03/2021 06:59
Atualizado 28/03/2021 07:00

Geral   EDUCAÇÃO

Com a pandemia da Covid-19, estudar ficou ainda mais complexo. Distantes do ambiente escolar e sem contato físico com as professoras, muitos alunos de Santa Cruz do Sul tiveram dificuldades em manter as atividades em dia e estabelecer uma rotina de estudo. Por conta disso, a Secretaria Municipal de Educação - através do seu Departamento de Educação - vem construindo estratégias junto às escolas da rede municipal de ensino para fazer o acompanhamento das aprendizagens neste momento de ensino híbrido. O objetivo? Buscar manter vínculos entre escolas, estudantes e famílias.

Segundo a Coordenadora da Equipe Multiprofissional, Mara Nubia Sandim, uma das grandes necessidades é que os pais assumam a responsabilidade de colocar os alunos numa rotina. "Existe atendimento online, contato de professores por WhatsApp e atendimentos individualizados por psicopedagoga. Os pais não têm a tarefa de ensinar, mas precisamos incentivar que mantenham uma rotina, estabeleçam um horário para os filhos e acompanhem o que eles fazem, com diálogo e paciência", destaca.

A equipe trabalha, conforme Mara, em um levantamento de dados de 2020 para cruzar com os primeiros de 2021. "Queremos tentar sanar as reincidências. Estamos fazendo um plano de ações para que consigamos resgatar aqueles alunos que não retornavam as atividades no ano passado", diz. De acordo com ela, as escolas têm se organizado, utilizando vários recursos e estratégias para manter o vínculo com os estudantes, tentando fazer com que desenvolvam competências e que as aprendizagens ocorram mesmo à distância. Entre elas, estão estratégias que vão desde contato telefônico, envio de material impresso aos estudantes e visitas às casas quando as famílias não mantêm contato por nenhuma via de comunicação.

Quando a escolas esgotam todas as possibilidades de contato com as famílias, os casos são encaminhados à Equipe Multiprofissional, que é composta por psicóloga, assistente social, psicopedagoga, supervisora da Educação Especial e orientadora educacional. Segundo a Orientadora Educacional da Secretaria Municipal de Educação, Evelin Scheibler, as ações de busca ativa já realizadas na forma presencial foram intensificadas pelas escolas neste momento de atividades não presenciais. "Para os casos de não retorno das atividades dos estudantes, a Secretaria solicitou que primeiramente fossem esgotadas as possibilidades da escola, conforme previsto no Termo de Cooperação da-Ficha de Comunicação de Aluno Infrequente (Ficai)", explica.

Após isso, é a partir de contato telefônico e WhatsApp com estudantes, famílias e escolas; atendimento e acompanhamento psicológico e psicopedagógico na modalidade online; visitas domiciliares; discussão de alguns casos junto com a agente de saúde local; contato com professores e articulação nas formas de intervenção e resgate dos estudantes; encaminhamentos para rede de apoio e devolutiva de cada caso a escola para explicitar as medidas adotadas que a Equipe Multiprofissional trabalha, a fim de reduzir os prejuízos desse período pandêmico. 

Conforme as profissionais, em 2021 ocorre a continuidade deste trabalho que objetiva minimizar os impactos causados pelo afastamento dos estudantes da escola. Além disso, foi realizada ainda a adesão ao Programa Busca Ativa da Unicef. O programa, segundo elas, vai possibilitar às escolas municipais mais qualificação e parcerias com toda a rede, afim de agilizar o processo do resgate do estudante que não consegue fazer vínculo e, por consequência, abandona a escola neste momento de pandemia.


Foto: Pixabay
Equipe pedagógica do Município aposta no diálogo e na paciência para incentivar o retorno dos alunos
Equipe pedagógica do Município aposta no diálogo e na paciência para incentivar o retorno dos alunos