Número de internados que necessitam de respiradores aumenta em Santa Cruz


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 03/03/2021 15:00
Atualizado 03/03/2021 15:49

Covid-19   ATUAL MOMENTO

O agravamento da pandemia tem refletido em um cenário de angústia, apreensão e incertezas e preocupado, inclusive, profissionais da área da saúde que se deparam diariamente com leitos de UTI acima da taxa de ocupação.

Na avaliação do médico infectologista Marcelo Carneiro, a região vive, no momento, a terceira onda de infecções e ele atribuiu esse novo crescimento a diversos fatores. Os feriados, o período de férias e a nova linguagem do vírus contribuem para o crescente número de casos das últimas semanas.

Para o profissional, que é referência no que diz respeito ao coronavírus desde o início da pandemia e também sempre consultado pelos prefeitos da região nos encontros da Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp) e do Consórcio Intermunicipal de Serviços do Vale do Rio Pardo (Cisvale) - os números podem ficar piores nos próximos dias devido à quantidade de casos que tem sido registrados recentemente.

Internados

Algo visto em outros municípios, o crescimento no número de internados jovens não é a realidade local. Segundo o médico, em Santa Cruz do Sul, há sim, um grande aumento de internações, porém não de pessoas jovens.

Conforme Carneiro, a realidade é a mesma de outras regiões quando se trata da gravidade dos pacientes em comparação com outros períodos da pandemia. Atualmente o número de pessoas que necessitam de respiradores é maior o que, por consequência, aumenta a mortalidade. Tanto no Hospital Santa Cruz quanto no Hospital Ana Nery, todos os respiradores em UTI estão sendo utilizados.

Ainda conforme o médico, na atual situação a mais eficiente forma de combate à doença é a vacinação. No entanto, como ainda não é realidade para toda população, ele confirma que o isolamento social segue sendo eficiente para evitar a doença.

 


Foto: Pixabay
Taxa de mortalidade pela doença aumentou
Taxa de mortalidade pela doença aumentou