Colorido que embeleza Santa Cruz do Sul


Por: Portal Arauto
Fonte: Jornal Arauto
Publicado 21/02/2021 06:39
Atualizado 21/02/2021 06:39

Geral   CENÁRIO DE TIRAR O FÔLEGO

Neste período, caminhar pelas ruas de Santa Cruz do Sul sempre é muito alegre. É que o cenário ganha um visual bastante florido. São as extremosas, famosa árvore na cidade, encarregada pelo espetáculo. Suas flores transcendem uma beleza ornamental, por isso, é convidativa para passeios ao ar livre. Para contemplá-las não precisa ir longe, a árvore é encontrada em diversos pontos da cidade.

A extremosa é a flor símbolo do município, definida pela Lei Municipal número 1.452, de 18 de abril de 1972, sancionada pelo então prefeito Edmundo Hoppe. Além de dar colorido à cidade, as árvores são usadas na arborização de jardins e áreas urbanas.

Para além da beleza, faz de fato parte da história de Santa Cruz do Sul. Ilse Maria Forster O’Meagher, que há mais de 40 anos se entrega ao dom da arte e pinta diversos trabalhos – em setembro do ano passado contamos a sua história e o amor que sente pela cidade – tem uma recordação muito bonita. Santa Cruz vive a cultura germânica. Em todo mês de outubro, transmite com mais vigor a sua paixão na Festa da Alegria, a tradicional Oktoberfest. E a flor símbolo e o principal evento da cidade têm algo em comum. 

A primeira edição do evento aconteceu em 1984. E para homenagear e presentear a comissão organizadora responsável pela primeira edição, o prefeito na época, Armando Wink, e o secretário de turismo, Ademir Mueller, pediram para que Ilse pintasse uma lembrança às pessoas participantes, evidenciando a história de Santa Cruz. 

E assim ela fez. Com uma técnica de pintura, fixou em um azulejo a memória da festa (veja na foto ao lado). Trabalho que guarda com muito carinho até hoje, emoldurado e decorando um espaço de casa. “O retorno que tive foi muito positivo pelo ineditismo da lembrança em si. Foi-me pedido um mimo da primeira Oktoberfest e, então, desenvolvi com as flores da extremosa”, conta.

Embora já participasse da antiga Femarte, participar da primeira Festa da Alegria e deixar registrada sua paixão, tanto pela cidade, quanto pela flor, na história do evento, é algo que Ilse carrega no coração. “Foi uma grande honra receber o convite. Ver um trabalho que eu pintei ter emocionado outras pessoas me deixou muito feliz”, recorda. 

Para ela, o azulejo retrata muito bem a história de Santa Cruz do Sul. “Sempre é muito bom ser desafiada para algo que enaltece a nossa cidade e que teve repercussão nacional”, destaca a pintora. Assim como a Festa da Alegria lá em outubro proporciona muita diversão e animação, as extremosas também dão uma festa de perfeição e encanto a quem por elas passa. 


Foto: Jota Santos/Grupo Arauto
Árvores fazem parte da história de Santa Cruz
Árvores fazem parte da história de Santa Cruz

Foto: Caroline Moreira/Jornal Arauto
Extremosas dão um colorido a mais nas paisagens da cidade
Extremosas dão um colorido a mais nas paisagens da cidade

Foto: Divulgação
Lembrança pintada por Ilse para presentear a comissão organizadora da primeira Oktoberfest
Lembrança pintada por Ilse para presentear a comissão organizadora da primeira Oktoberfest